Browsing Category

Amamentação

Internação na UTI por Icterícia

Amamentação, Bebê | Criança By 8 de fevereiro de 2017 Tags: , , 1 Comment

Deveria começar pelo relato de parto, eu sei. Mas relato de parto deve ser parido e eu gosto de detalhes e isso significa demorar para escrever. Como o blog ta abandonado e quero espanar a poeira vim começar por um começo não tão começo, mas tão importante quanto: a internação do Rafa na UTI neonatal por icterícia. Sempre tive medo disso… Sempre imaginei a dor de uma mãe em ter que deixar o filho no hospital e voltar para casa sem ele em seus braços.

Rafa nasceu prematuro de 36 semanas. Nasceu com peso e tamanho bons (2,750kg e 47cm), se recuperou bem durante o trabalho de parto, temperatura boa, não precisou ficar na incubadora do berçário em suas primeiras horas de vida. Um alívio sem tamanho. Percebi que ele estava com a pele muito vermelha, a enfermeira da maternidade disse que era comum em bebês prematuros. Eu, na minha santa inocência, pensei: “que bom que está vermelho, pelo menos não está amarelo e não corremos o risco de ter icterícia”.

Share:

#SMAM2015 e a amamentação prolongada

Amamentação, filhote By 3 de agosto de 2015 4 Comments

“Amamentar não é só amor e produção de leite.
É apoio, persistência e informação”

Li essa frase em um dos muitos textos publicados na internet por conta da “Semana Mundial de Aleitamento Materno” e me identifiquei. Na primeira #SMAM que participei (2013) tinha uma visão muito simplista de tudo e todo movimento político em torno do ativismo pró-amamentação. Naquele momento, Biel tinha apenas três meses, eu estava realizando o meu sonho de amamentar e amava as sensações e a ligação com meu filho proporcionada pelo ato. Leite materno era o meu amor líquido, mais uma forma de doação que a maternidade me apresentava.

Share:

É para viver muito, de muito amor!

Amamentação, filhote By 26 de janeiro de 2015 3 Comments

Sábado a noite, já tínhamos mudado de peito. Biel engrenando no soninho gostoso.Ele para de mamar, abre os olhos, vem com seus bracinhos na direção do meu pescoço, me abraça, me tasca um estalinho na boca, se aninha novamente nos meus braços, volta a mamar e apaga em poucos minutos. Não é para viver muito, de muito amor?

Só para registrar 679 dias e contando 😉

 

Share:

Alguns pensamentos sobre a reunião da creche

Amamentação, devaneios, filhote By 5 de dezembro de 2014 14 Comments

Reunião de final de ano da creche: misto de ansiedade, animação e curiosidade define.

A reunião começou com a coordenadora pedagógica perguntando sobre minhas impressões sobre a creche, com o que eu concordo, com o que eu não concordo. Falei sobre o cardápio da creche, que no início eu era mais taxativa e proibitiva, mas que agora estava liberando as coisas aos poucos, uma vez que Biel come bem.

Falei da minha expectativa sobre o desenvolvimento da fala, ela explicou aquilo que eu já sabia, que devemos esperar até 2,5/3anos para tomar qualquer atitude, que cada criança tem o seu tempo de desenvolvimento e tal. Mas que ela sente que Biel ainda tem muitas atitudes de bebê, que em algum momento na nossa relação estamos infantilizando ele.

Comentei sobre a perda do meu pai no início do ano, como isso me afetou profundamente e como em algum ponto pode ter afetado o Biel, já que a conexão mãe-bebê é forte e eles sentem tudo o que nós sentimos. E que nos últimos seis meses, Biel estava mais choroso e querendo ficar muito grudado comigo. Contei como estava me sentindo sufocada com tudo e que tem uns dois meses que consegui me desapegar e deixar ele com minha mãe e sogra e como percebi que essa separação fez bem para ele. Ele sempre retorna com novidades e em algum grau mais independente.

Neste momento, ela falou algo que concordo muito, que é um ponto também levantado pela Laura Gutman sobre o “corte do cordão umbilical com a mãe” e que neste momento o pai e outras figuras como avós tem muita importância e são fundamentais nesse processo – nota mental: ler capítulo do livro. Expus que me sinto perdida, que não me sinto infantilizando ele, não tenho o costume de falar palavras no diminutivo, que costumo delegar tarefas e tal… Não sei o que fazer para ajuda-lo.

Perguntei como ele é no dia a dia, com as tarefas, com os amigos… A tia reforçou que apesar dele falar mais a língua dele e muitas vezes se comportar como um bebê, ele tem a coordenação motora super desenvolvida. Corre há muito tempo, escala coisas com facilidades, come sozinho, etc. É uma criança que presta muita atenção e executa todas as tarefas que são pedidas com facilidade. Brinca muito, é fácil de lidar e está o tempo todo está com os amigos.

Maaas de umas semanas para cá começou a se envolver em disputas de brinquedos (tudo é dele) e a morder os amigos. Fiquei arrasada! Ele já foi mordido duas vezes na creche, mas nunca tinha mordido ninguém. Nunca aconteceu isso na minha frente, por exemplo, com outras crianças nos finais de semana. Questionei a escola porque eles não me avisaram no dia que isso aconteceu, eles falaram que já estavam com a reunião agendada e que resolveram aguardar. Perguntei se era algum amiguinho em especifico e elas disseram que não, é com todo mundo, ou seja, não existe um alvo.

A coordenadora explicou que a mordida é uma forma da criança se expressar, que isso é comum em crianças que não estão com a fala totalmente desenvolvida. A criança quer se expressar, se frustra em algo nível por não conseguir e reage desta forma.

Não me conformei… Ressaltei que não teve nenhuma mudança na rotina dele nas últimas semanas que pudesse justificar isso, que em casa temos um ambiente tranquilo e tal… até que comentei que Biel ainda mama e que nunca tinha me mordido durante as mamadas. Pronto! Ela arregalou os olhos e atribuiu todos os problemas do Biel a amamentação prolongada, que isso infantiliza em algum grau.

Expliquei que hoje em dia não é mais livre demanda, que ele chega em casa e não pede mais para mamar desesperadamente como fazia antes. Porém, a noite ainda dorme mamando e acorda de madrugada para mamar. Já aconteceu de oferecer água de madrugada no lugar do peito e as vezes resolve a situação, porque na verdade ele está com sede. O que acho justo, eu também acordo para beber água…

Ela reforçou que está na hora do desmame. Já falei no blog que nunca pensei em amamentar eternamente e nos últimos meses reduzi drasticamente, até porque meu leite diminuiu também. Mas não quero um desmame brusco, gostaria que fosse algo natural. Enfim… ainda estou absorvendo todas as informações recebidas durante a reunião e buscando a melhor saída encarar esses desafios.

Por último, mas não menos importante! Biel mudará para o maternal em janeiro, junto com os amiguinhos que ele tanto gosta!

Share:

Quinhentos dias de amamentação

Amamentação, Bebê | Criança By 31 de julho de 2014 Tags: , 2 Comments
500diasmamentação_MAISJU

Quinhentos dias de amamentação

Q-U-I-N-H-E-N-T-O-S DIAS!

Nem acredito que estamos aqui, firmes e fortes seguindo na amamentação. Sem pensar em parar. Seguindo o nosso sentimento.

Quando estava grávida, amamentar era apenas uma vontade, uma vontade muito grande confesso, mas que sempre existiu acompanhada do medo de não conseguir, de fracassar. Aos poucos fui vencendo meus medos, minhas angustias. Estabeleci pequenas etapas a serem concluídas. Primeiro foi conseguir ter leite, depois persistir na dor da amamentação dos primeiros dias e o cansaço. Passado isso, foi a hora de colocar como meta os seis meses de aleitamento exclusivo. Depois de chegar ao primeiro ano. Passamos dos 365 dias e estamos em quinhentos.

Foi cansativo? Foi sim. É prático? Muito! Mas dá trabalho porque peito ninguém mais pode dar a não ser a mãe. Mas a recompensa é enorme! Vale muito.

Não tenho pretensão de amamentar por muito mais tempo, minha ideia é desmamar aos dois anos. Ainda não faço ideia de como farei esse processo. Penso em algo que não seja traumático (para mim e para ele), que seja natural e para falar a verdade nem sei se existe essa possibilidade. Mas como desmamar ainda não é uma opção ou nossa prioridade, ainda não comecei a pensar ou estudar a melhor forma…

Só me preocupo em comemorar as pequenas vitórias <3

Share:

373 dias de amamentação

Amamentação, Bebê | Criança By 26 de março de 2014 Tags: , 7 Comments
Mãe amamentando

Amamentação

Ontem postei no instagram essa foto no instagram com um breve textinho. Três  motivos me motivaram a postar, primeiro pelo fato de ter alcançado a minha meta pessoal de amamentar o Biel por pelo menos um ano – semana passada minha delícia completou um ano de vida. Em segundo, porque estou muito gripada, e desde que ele nasceu eu já fiquei gripada algumas vezes e já peguei uma virose braba. E Biel passou ileso a tudo…  E terceiro, mas não menos importante, é porque acho que falta apoio e informação a mãe que amamenta ou a gestante que quer amamentar.

Foi um ano de amamentação em livre demanda. O começo não foi fácil, seio machucado, muita dor para amamentar, Biel queria ficar acoplado em mim muitas horas do dia – alguns dias chegavam a quatro horas direto, sem sair. Paciência e doação total são as palavras que me marcaram neste período – além do amor incondicional.

Com o tempo, tudo foi se ajeitando e fomos vencendo pequenas etapas. Primeiro o medo de não ter leite, de não conseguir, de não gostar do ato de amamentar. Depois de conseguir completar os seis meses de amamentação exclusiva. Com a introdução alimentar, dele perder o interesse ou de abandonar o peito por conta da mamadeira. A cada etapa vencida era um alívio e a cada vez que sentia o leite descendo e o seio cheio de leite me sentia e me sinto plena.

Nunca quis fazer amamentação prolongada por mais de dois anos, mas já que alcancei a minha primeira meta, me proponho uma nova: até 18 meses. Acredito fielmente que estou proporcionando ao meu filho mais do q um complemento de vitaminas e enzimas, estou passando meus anti-corpos, imunizando ele. Além do valor nutricional, tem o aconchego emocional… Que alimenta nós dois <3

Share:

Participação no momento maternidade

Amamentação, Bebê | Criança By 29 de janeiro de 2014 Tags: , 11 Comments

Contei aqui sobre a nossa (minha e do Biel) no programa Momento Maternidade do Canal GNT. Na verdade, não é um programa. Eles chamam de inter-programa, pois acontece no intervalo da programação. O tempo é curtinho, tem cerca de 55s, falo bem rapidinho sobre a nossa experiência na transição do leite materno para os alimentos. Já falei sobre isso no blog em alguns posts (nesse e neste outro). Enfim, chega de lenga, lenga e vamos direto ao vídeo! Espero que gostem =D

E aí? O que acharam?

Share:

Momento Maternidade

Amamentação, Bebê | Criança By 7 de janeiro de 2014 Tags: , 8 Comments

MM_GNT_maisjuAmanhã Biel e eu estreiaremos na telinha! No final do ano passado gravamos uma entrevista curtinha, menos de um minuto para o programa Momento Maternidade que passa no Canal GNT. Na verdade, nem chega ser um programa, são pílulas que passam ao longo da programação, durante o intervalo entre um programa e outro.

O tema foi introdução alimentar – do leite para comida, contei um pouco sobre a nossa experiência, os meus medos, a minha dificuldade. Fato é que falei muito melhor para a produtora do programa pelo telefone, na hora travei e esqueci de falar um monte, monte de coisas. Falei sobre a introdução alimentar do Biel aqui e aqui.

Como não assisti a gravação depois, não sei se o que falei faz sentido (hahah) ou se falei alguma asneira (espero que não!!!) a verdade é que provavelmente vocês (pelo menos alguém) verão antes de mim! Já que a primeira vez que vai passar, estarei no trabalho! heheh

Se alguém assistir, vem aqui me contar? Bem, é isso! Ansiosinha para ver o resultado! Para ajudar, seguem os horários das próximas semanas:

  • 08/01 às 11:59
  • 09/01 às 08:29
  • 10/01 às 18:59
  • 11/01 às 21:59
  • 12/01  às 23:29
  • 13/01 às 09:59
  • 14/01 às 08:59
Share:

Relato de parto – parte 4

Amamentação, Bebê | Criança, fotografia, Gestação, parto natural, Relatos de parto By 18 de dezembro de 2013 Tags: , , , 38 Comments

Relato de parto – parte 1
Relato de parto – parte 2
Relato de parto – parte 3

Última parte do relato de parto, depois desse post faltará apenas as minhas considerações finais. Esse post termina com o Biel em meus braços, mamando em sua primeira hora de vida. Para os ansiosos ou para quem chegou aqui pela primeira vez, tive um parto natural (livre de qualquer tipo de intervenção), na qual o respeito, o carinho estiveram presente em todos os momentos. Biel nasceu às 6:06am do dia 18 de março de 2013 com apgar 9/10, 52cm e 3,475g de muita gostosura.

Mesmo focando minha energia na respiração e contração, Biel terminava a descida no canal vaginal de forma lenta. A esta altura as contrações eram as mais dolorosas, duravam mais tempo e os intervalos eram menores. Neste momento, Dra. Fernanda falou: “ao invés começar a fazer força no início da contração, espera ela ficar bem forte, aí sim faz força, com uma série de respirações seguidas, continuando até o final da contração”. Mal comparando, como se eu fosse surfista, que ao invés de ficar em pé na prancha logo no início da onda, espera o momento exato de levantar para aproveitar ao máximo a força do mar.

Este é um momento do TP que você acha que não vai acabar nunca. Você dúvida do seu corpo, você encontra os seus medos e neles você tem que buscar força para sair dali e parir seu filho. Nessa hora, o apoio do meu marido e da equipe que escolhi foram fundamentais. Pois quando você duvida de você mesma, eles acreditam e te passam a certeza e a segurança de que está tudo no caminho certo.

Kira, com suas doces palavras, me falou em uma das contrações: “se entrega, lembra que a contração é sua amiga, é ela que trará o seu bebê para você”. Fernanda complementou: “chegou aquele momento que conversamos diversas vezes nas consultas, chegou o momento em que você tem se jogar do paraquedas”.

Absorvi aquelas frases e em pouco tempo meu corpo processou as informações. Decidi parir. Uma força tomou conta do meu corpo, eu me concentrei ainda mais na contração. De vez enquando eu chamava pelo meu filho. Num dos intervalos entre uma contração e outra, Dra. Fernanda comentou: “vamos Ju… falta pouco, estou vendo ele… sente seu filho, coloca a mão na cabeça dele”.

Lembro que estiquei meu braço receosa, sempre tive um certo nervoso desta cena, mas era meu filho nascendo, era o momento de vencer todas as minhas barreiras, medos e frescuras. Toquei sua cabeça, seus cabelos, aquilo me deu força para continuar. Eu já não aguentava mais, nesse momento veio mais uma contração e de fato sua cabeça começou a sair. Foi a maior dor da minha vida. Sensação de que de fato tinha algo me rasgando ou de uma forma poética, matando aquela a velha Júlia, para nascer uma nova. Nessa hora eu gritei com a Dra.: “Fernanda, o que você está fazendo? tira a mão daí”.

A sensação que eu tinha, é que ela estava com a mão dentro de mim. Eu lembro com muita lucidez desta hora. Ela, calmamente, quase sorrindo, respondeu: “Ju, não estou te encostando, é o seu filho saindo”. Ao mesmo tempo ela levantou as mãos para o alto, como se quisesse comprovar que não estava encostando um dedo se quer em mim.

A contração foi embora e Biel estava no meio do caminho, a dor era insuportável. Lembro de ter pedido um pouco de água para molhar a minha boca enquanto não chegava a próxima contração. Esses momentos finais são um pouco confusos em minha cabeça. Em mais uma ou duas contrações, fazendo força e sentindo a maior dor física da minha vida, Biel nasceu, às seis e seis da manhã de uma segunda-feira chuvosa de março.

Ele saiu de dentro de mim, sem chorar e veio imediatamente das mãos da Dra. Fernanda para o meu colo e ali ficou por mais de uma hora. Segundo meu marido, ele veio para o meu colo, de olhos abertos, me olhando. Meus olhos encheram de água, mas eu não chorei. O amor mais lindo e puro estava em meus braços e chorar deixaria minha visão turva.

Ficamos ali, os três abraçados, meio sem jeito, sem acreditar em tudo que tínhamos vivido nas últimas horas. Kira registrou o momento com algumas imagens. Após o cordão umbilical parar de pulsar, Rodrigo o cortou.

MAISJU_NASCBiel2

Biel ainda ficou no meu colo, tentando mamar, cheirando, lambendo, mamando e descobrindo o mundo. Depois de parir o meu filho, tinha que parir a placenta, que por sua vez, estava apegada e não queria sair. Foi necessário uma força tarefa: Biel mamando, Kira fazendo massagem, acupuntura, Fernanda tentando soltar a placenta. Depois de uma hora e aos poucos, ela saiu.

MAISJU_NascBiel

Depois que a placenta saiu, Kira, Rodrigo e a pediatra neonatal levaram Biel para o berçário para os procedimentos padrão. E eu fiquei com a Dra. Fernanda e uma enfermeira na sala de parto. Biel nasceu às 6:06, mas antes das oito da manhã, nós três já estávamos no quarto.

ps. no próximo post, algumas considerações finais, impressões e notas mentais para a próxima gravidez.

Share: