Browsing Category

Bebê | Criança

Continuação da introdução alimentar

Amamentação, Bebê | Criança By 28 de novembro de 2013 Tags: , 15 Comments

biel_papando

A introdução começou aos seis meses como contei aqui. No primeiro post contei como foi a primeira semana de alimentação dele em casa e na creche. Sorte que Biel é bom de garfo, de modo geral aceitou bem as papinhas salgadas e doces.

Depois da primeira semana, fiz algumas mudanças no cardápio da creche que continuaram até o início do sétimo mês – veja abaixo:

Para a creche (6 meses):
– Colação (8:30): suco de laranja lima
– Almoço (11:00): papinha salgada com dois legumes (batata inglesa, baroa, doce, cenoura, chuchu, beterraba, abóbora)
– Sobremesa: nenhuma
– Lanche (14:00): fruta amassadinha (mamão, banana, maçã ou pêra)
– Jantar (16:30): leite materno

Em casa:
– Livre demanda de leite materno e papinhas salgadas e frutas amassadas no final de semana.

Confesso que em casa foi difícil seguir os horários da creche. Muitas vezes, eu dei só o peito ou no máximo uma fruta. Na minha cabeça foi difícil digerir a IA. Inconscientemente eu achei que a IA fosse diminuir o meu  vínculo com o Biel, eu não estava preparada emocionalmente para isso. Curto muito nosso momento… Não quero o desmame e por isso fiquei com medo. Para muitas mães, a primeira separação é o nascimento do filho. Eu não considero desta forma, para mim o nascimento foi a felicidade plena, a realização. Na minha concepção, a primeira “separação” foi a entrada dele na creche e a segunda foi a introdução alimentar.

Com a chegada do sétimo mês, liberei a introdução de carne e frango na alimentação dele. Liberei também sobremesa depois do almoço e aumentei a variedade de sucos para ele beber na colação. A grande diferença foi a introdução de papinha na janta da creche, com isso eu parei de mandar leite materno (LM).

Com isso, não tinha necessidade de ficar tirando leite todos os dias no trabalho. Até cheguei a fazer por alguns dias depois dos sete meses, mas vou te confessar que é um trambolho a mais para carregar todo dia (bomba elétrica, pote para armazenar o leite, bolsa térmica), sem contar que eu tinha que parar pelo quartenta minutos no total para tirar o leite no trabalho e em casa era uma rodada a mais de esterilização. E vou dizer que no final do dia, era mais uma coisa para me cansar. Até cheguei fazer um mini-estoque de leite congelado, mas parei porque porque não vi necessidade.

Para a creche (7 meses):
– Colação (8:30): sucos diversos
– Almoço (11:00): papinha salgada (com legumes, túberculos e raízes, grãos, verduras e um tipo de carne)
– Sobremesa: apenas fruta
– Lanche (14:00): fruta amassadinha misturada ou não com cereais (naturais, tipo aveia)
– Jantar (16:30): papinha salgada

Em casa:
– Livre demanda de leite materno e papinhas salgadas e frutas amassadas no final de semana.

Nos finais de semana segui no mesmo esquema de antes, sem conseguir criar um ritmo bacana para a alimentação dele. Pode parecer besteira, mas diminuir a amamentação doeu, me deixou insegura. Foi necessário quebrar algumas barreiras, mas aos poucos fui vencendo e consegui colocar um ritmo de dar pelo menos uma papinha salgada e uma frutinha amassada.

O oitavo mês chegou, o pediatra liberou a introdução de ovo e peixe na alimentação. De um tempo para cá, percebi que Biel estava acordando muito para mamar a noite (mais ou menos a cada 1h30). Perguntei se era necessário oferecer algum alimento para ele (além do LM) antes dele dormir, já que a janta na creche é às 16h30. O pediatra respondeu de forma positiva e desde então tenho dado um lanchezinho antes de dormir (uma fruta ou metade da porção do almoço de papinha salgada). Claro, que tem dias que a noite é caótica, mas de modo geral Biel está dormindo muuuuuuuito melhor. Muito mesmo! Tem acordado em média duas vezes por noite. Afinal, o gasto calórico dele aumentou, né? Engatinha o dia inteiro!

Nosso único problema tem sido a introdução de líquidos. Mesmo na creche, nem sempre ele aceita bem os sucos e comigo é a tendência sempre é rejeitar. Água de côco ele aceitou bem, água bebe só um pouquinho, principalmente quando me vê bebendo. Acaba que ele sempre prefere o peito. Uma coisa que tenho feito, é misturar um pouquinho de água filtrada ou água de côco nas papinhas doces, para ajudar na hidratação, principalmente nos dias mais quentes!

Finalmente, de duas semanas para cá consegui imprimir um ritmo bacana no final de semana de almoço, lanche e janta. Parei de me cobrar tanto e me permiti comprar papinhas salgadas prontas para ajudar nos dias de tempo curto.

Não posso reclamar, porque Biel come bem! Faz cara feia na primeira colherada, mas depois abre a boca pedindo mais, é muito engraçado. A única coisa que estou com dificuldades para introduzir é maçã, ele não gosta e da última vez vomitou tudo. Este final de semana vou tentar uma receita diferente de papinha de maçã. E vou oferecer peixinho pela primeira vez ♥

Share:

Primeira vez na praia!

Bebê | Criança By 19 de novembro de 2013 Tags: , 7 Comments

Ele já tava liberado desde os seis meses, mas aconteceu gripe, depois rotavirus, depois tempo ruim e compromissos. Não conseguiamos casar um dia de tempo bom e nada para fazer. Até … a última sexta! Acordamos cedo e 8:30am estávamos na praia nós três e a tralha toda. Sim, a tralha! Toalha, fralda descartável, roupa seca, protetor solar, piscina, bomba para encher piscina (que foi a sensação da praia), brinquedos, baldinho, cadeira de praia, canga, câmera, etc.

Ao todo ficamos um pouco mais de uma hora e meia. Biel chegou dormindo, então enquanto marido enchia a piscina com a água do chuveirão da praia, abria a barraca e arrumava as coisas ele tirou um cochilo. Estranhou um pouco a água fria da piscininha, mas nada que cinco minutinhos lá dentro para entender que era bagunça! Amou comer os brinquedinhos com o gostinho da água salgada (Como impedir? impossível ahahaha), dançou, riu. Delícia total! Saiu de lá exausto e tirou duas boas sonecas depois!

Copacabana

Primeira vez do Biel na praia!

Bebê na piscina

Primeira vez na piscina

Piscina
Ficamos tão animados com a ida a praia, que resolvemos levá-lo na piscina no dia seguinte! Também estranhou no começo, mas cinco minutos depois estava totalmente ambientalizado =P

Share:

Mesaniversário: 7º mês

Bebê | Criança By 4 de novembro de 2013 Tags: , , 9 Comments
7mes_montagemblog

Mesaniversário de sete meses

Biel completou sete meses de pura gostosura no dia 18 de outubro! Mais uma vez post mega atrasado porque passamos o dia do mesaniversário doentinhos… Biel pegou um rotavirus, depois emendou com sapinho e o segundo dente nascendo. Sim, segundo dente!!! Ou seja, neste último mês sofremos com o nascimento do primeiro dentinho. Biel teve febre uns quatro dias seguidos, sempre a noite e durante o dia nada. Febre com hora marcada. Pelo pediatra, o coitado do dente não tem poder de provocar febre, mas segundo minha mãe e vááárias outras pessoas provoca sim.

Neste último mês, Biel firmou ainda mais a coluninha, já não cai mais quando colocado sentado e começou a ensaiar uma dancinha quando escuta musica sentadinho. Por conta disso, passei a tomar banho com ele. Deixo ele sentadinho brincando na banheira enquanto tomo banho, depois dou o banho nele.

Ele já se arrasta para tudo quanto é lugar, vira e desvira num piscar de olhos para o meu desespero porque não posso deixá-lo sozinho. Ah, neste mês da criança ele ganhou de presente um mega tapetão fofo (foto acima), o que foi ótimo porque posso deixar ele lá sentadinho brincando, já que do chão não passa, né? heheheh

Meu pequeno anda super falante, interagindo! Mas por conta dos picos de crescimento/ salto de desenvolvimento e dente nascendo foi um mês de muitas acordadas de madrugada.

A introdução alimentar (IA) correu bem! Ele aceitou bem os alimentos. Prefere as papinhas de fruta do que as papinhas salgadas, não curte muito suco e gosta de água de côco. Água também ainda é difícil dele aceitar. Na creche toma suco de manhã, almoça, lancha e o jantar é o meu leite materno (por enquanto) e em casa livre demanda de LM.

Ah, uma coisa que mudou com a IA foi a consistência do cocô dele, né? agora já é cocô de adulto! hahah Eu fico impressionada como cabe tanta coisa dentro de um bebê! Jesus! hahaha

Não tenho conseguido postar tanto quanto eu gostaria, a rotina casa-trabalho tem me consumido, acho que depois que ele começar a jantar na creche vai me ajudar bastante nesse processo, pois vou parar de tirar leite no trabalho (e serão menos coisas para esterilizar). Vou começar agora no sétimo mês.

Para finalizar, vamos aos dados da consulta! Ele ainda não ultrapassou os 8kg. A consulta aconteceu em 17/10 e neste mês Biel cresceu 2 cm e engordou 135g – é válido lembrar que ele já estava doentinho, com rotavirus, logo já não estava aceitando as comidinhas – Biel está pesando 7,805kg e está com 67cm.

Share:

Rotavirus

Bebê | Criança By 24 de outubro de 2013 Tags: , 10 Comments

Trevas é a palavra da semana! Quarta retrasada (16/10) estava saindo do trabalho, a tia da creche me ligou para dizer que Biel estava com febre. Falei que não teria problema, que já estava saindo do trabalho, passei as indicações do anti-térmico e me dirigi para lá. Como Biel não teve mais febre durante a noite, no dia seguinte deixei ele na creche novamente.

Na quinta (17/10), por volta de 10:30 recebi ligação da tia falando que ele tava com febre de novo e depois ligou para dizer que ele não aceitou de jeito nenhum o almoço. Falei que já estava indo buscar. Aproveitei e marquei encaixe no pediatra de tarde.

Biel estava com pulmãozinho, ouvido limpos, apenas com a garganta irritada. A febre não estava cedendo nem com anti-térmico, apenas baixava um pouco a temperatura. Ele estava caidinho. Depois de fazer alguns testes o pediatra concluiu que era alguma virose.

No dia seguinte (sexta), Biel ficou em casa com minha irmã e minha sogra. Comeu pouco ao longo do dia, só aceitou água de côco e banana amassada. A noitinha todos foram embora e eu não fazia idéia do que estava me esperando.

Banho tomado, peito dado, colinho, soninho. Coloquei Biel na minha cama, começou a chorar. No que peguei ele no colo, Biel começou a vomitar, em jatos. Desesperador. Junto com isso febre alta. Dei banho, peito, deixei só de fralda e nada da febre baixar. Resolvi dar anti-térmico e automaticamente um novo jato de vômito caiu em cima de mim, ou seja, além de todo caos instaurado, não rolava de dar anti-térmico. Mais banho, peito, colo e vômitos madrugada a dentro. Dei o remédio que o pediatra passou e conseguimos dormir.

Mal consegui fechar os olhos. Passei boa parte da minha noite sentada com ele na cama, abraçadinha, com medo de deitá-lo e ele vomitar. E por mais que meu super marido me ajudasse em todo esse processo, na hora do aperto, Biel só quer saber do meu colo.

Sábado foi assim durante o dia inteiro. Ele amuadinho, chorandinho, só querendo o meu colo. Junto com esse quadro de vômito a “la exorcista” tivemos diarréia também. Liguei para o pediatra novamente que diante do quadro de vômitos, febre que não cede e agora diarréia disse que era um rotavirus, que apesar dele já ter tomado as duas doses da vacina, ela só protege contra cinco tipos, e existem mais tipos de rotavirus.

O pediatra cortou a alimentação (papinhas e frutinhas) no final de semana, mandou só dar peito e bastante líquido para evitar um quadro de desidratação. Meu maior medo era ter que me despencar com meu pequeno para uma emergência.

O remédio que o pediatra passou na madrugada de sábado para domingo já estava fazendo efeito e Biel só deu uma golfadinha. A febre já não aparecia há algumas horas. Domingo o quadro foi se estabilizando. Mesmo assim achei melhor não levar ele para creche na segunda, para esperar ele ficar 100%.

Segunda ele ficou com as avós, não aceitou a papinha salgada, mas bebeu bastante água de côco e bateu um pratão de banana amassadinha com mamão no final da tarde. Comeu com gosto. Fiquei mega feliz dele já estar aceitando comidinhas novamente.

De noitinha começamos nossa rotina de banho, peito, colinho, soninho. Biel estava mega agitado, como se estivesse com algum incomodo. Depois de duas horas no escurinho com ele, com música clássica para acalmar a fera, muito abraço e carinho, ele dormiu. E foi acordando de hora em hora até às 3am,  daí dormiu direto até seis e meia. Nesse dia tinha reunião no centro, então eu levaria ele na creche.

Estamos prontos, eu, ele e nossa tralha (bolsa minha, mochila, bomba elétrica, capa do carrinho, etc), estou com ele no colo, ele vomitou em mim, nele, no chão, aquele caos. Liguei para o trabalho, cancelei minha presença numa reunião e fiquei em casa com ele.

Foi um dia exaustivo. No final de semana, apesar de Rodrigo não conseguir me ajudar muito porque tem horas que só eu sirvo,  Rodrigo está comigo e cuida de mim, segura o Biel para eu beber água, fazer xixi. Sim, são coisas banais, mas um baby dodói fica carente e requer atenção full time…

Na terça, Biel não aceitou nada de comida. Por volta das quatro da tarde aceitou seis colheres de uma papinha salgada que eu fiz, s-e-i-s colheres! Depois pediu para mamar, eu deixei e alguns minutos depois… tudo para fora novamente.

No dia seguinte, ele foi para creche. Meu maior medo era ele rejeitar as comidinhas, mas também fiquei pensando, que quando estou presente para ele é muito fácil rejeitar todo o resto porque afinal EU estou ali. Eu sou a mãe, a referência, o colo, o aconchego e o peito, né? Quando fui buscar ele na creche, a tia falou que ele ficou bem, não teve febre, comeu metade de todas as comidinhas, a única que ele tomou tudo foi o leite materno, mas disse que ele ficou chorandinho o tempo todo, que não brincou muito.

Em casa,  nossa rotina de sempre e tudo ok, até que essa noite, por volta de meia-noite e quarenta, estamos todos dormindo e escuto ele vomitando. Acordo no sobressalto, dou um pulo da cama e quando vejo Biel está dormindo e vomitando ao mesmo tempo. Meu pequeno numa poça de vômito… Já imaginaram o caos instaurado, né? A noite foi péssima. Dormi pouco e estou um zumbi. Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos…

Enfim, trevas! Horrível passar por isso, sei que ainda vou passar por muitas coisas diferentes, que vão me assustar ou me deixar desesperada. Só depois de ser mãe é que você passa a dar valor para algumas coisas…. Mas isso é papo para um outro post. O que quero dizer para terminar o meu relato sobre a minha semana caótica é sobre a importância da amamentação. Biel passou boa parte desses dias só no leite materno. Acredito que o quadro do Biel poderia ter ficado ainda pior se não fosse isso. LM é alimento sim, claro. Mas não é só alimento físico, que sacia a fome e hidrata. É também aconchego, uma forma de amar e ser amado.

——————-

atualização: para completar descobri que eu e Biel estamos com sapinho! Minha obstetra querida já passou minha medicação, já tomei um remédio dose única. E o pediatra prescreveu uma pomadinha na boca por uma semana, que eu to aproveitando e passando no seio também. Pq aí quando ele for mamar, a pomada se espalha sem gerar muito estardalhaço rsss tenta passar pomada na boca de um bebê! #missãoimpossível hahaha

Share:

Rotina casa – trabalho

Bebê | Criança, Mãe By 17 de outubro de 2013 Tags: 12 Comments

Acordo antes das seis da manhã para tomar banho, me arrumar e ficar semi-pronta. Daí acordo o Biel, dou o peito, troco a fralda, coloco a roupinha para ir para creche, penteio o cabelo, limpo o narizinho e deixo ele brincando um pouco enquanto vê televisão. Pego o meu sanduíche que o marido preparou e coloco o leite materno (LM) congelado e coloco na bolsa térmica. Termino de me arrumar, enquanto conto para ele como será o nosso dia. Normalmente Rodrigo deixa ele na creche e eu busco. Dou beijo nos dois homens da minha vida e antes das sete da manhã já estou no elevador.

Encontro uma amiga na portaria do meu prédio, pego o carro e rumo para o trabalho. Chego no trabalho por volta de sete e vinte da manhã e lá fico pelas próximas nove horas. Graças a minha equipe de trabalho me estresso, mas também me divirto. Depois do almoço dou uma paradinha no trabalho para tirar LM.

Saio de lá quatro e meia da tarde morrendo de saudades do meu pequeno. Pego o carro novamente e, num dia normal, chego em casa em meia-hora. Subo em casa rapidinho para deixar o LM na geladeira.

Ando o mais rápido que consigo para chegar na creche, pego meu pequeno e volto conversando com ele sobre o nosso dia.

Chego em casa, coloco ele para brincar no tapetinho. Coloco um dvd de música e entre uma brincadeira e outra começo a organizar as coisas para o dia seguinte. Lavo e esterilizo três mamadeiras, uma bomba de tirar leite e um potinho de guardar leite. Como não cabe tudo de uma vez, faço duas levas de oito minutos no micro-ondas. Coloco para secar e começo a organizar as coisas para dar banho.

No banho é aquela festa! Ele ama! Ama todas as modalidades: ele sozinho na banheira só com a água, ou com os brinquedinhos, ou quando toma banho comigo direto no chuveiro. Depois é sair, enxugar, colocar fralda e pomada noturna, roupinha. Deixo ele brincando um pouquinho mais, enquanto me arrumo. Nesse momento já está rolando um soninho. Rola uma esfregadinha de mãos nos olhos, às vezes um chorinho, um denguinho.

Aí é parar o que estiver fazendo para dar peito pela próxima uma hora. Leite materno não é só alimento. É amor, é aconchego. Então, esse é o momento do dia que temos para nos curtir, reforçar e estreitar o nosso laço que às vezes fica tão distante por conta da correria do dia a dia. Esse também é o único momento do dia em que vejo tv.

Ele adormece, desligo a tv, coloco no berço e continuo os preparativos para o dia seguinte. Como as mamadeiras, bicos e potes não secam sozinhas em tão pouco tempo, seco tudo com papel toalha. Separo o que vai para mochila da creche (mamadeiras) e o que vai para a minha bolsa (bomba e pote de armazenar). Vejo a previsão do tempo do dia seguinte e separo três mudas de roupa para mandar para creche. Lavo as roupas sujas naquele dia, estendo no varal para secar e finalmente vou lanchar. Escovo os dentes, converso um pouco com o marido e vou dormir. Pronto, acabou o meu segundo turno de trabalho do dia.

Com sorte, Biel vai acordar duas vezes na noite apenas para mamar. O que não tem acontecido, com a creche, saltos de desenvolvimento e picos de crescimento, as noites tem sido caóticas. Ele tem acordado bastante e agora deu para acordar todos os dias às cinco da manhã. Delícia! Só que não!

E assim tem sido os meus dias. É cansativo, é sim, muito. Ainda estou me adaptando ao ritmo de trabalho duplo, por isso o blog anda abandonadinho. Tenho várias ideias de posts, mas a ordem é: ele dormiu, tenho que dormir também.

Share:

Mesaniversário: 6º mês

Amamentação, Bebê | Criança By 29 de setembro de 2013 Tags: , , 7 Comments
montagem6mesBLOGMAISJU

Sexto mesaniversário

Este mês foi marcado por grandes mudanças! Nossa primeira grande separação: a creche para ele e trabalho para mim.

Nas semanas anteriores a minha volta foram de intensa programação social…. cinematerna, piqueniques, passeio na orla, shopping e por aí vai. Teve dias da adaptação que não levei ele para creche porque queria ficar curtindo o dia agarradinha com ele.

Teve a primeira gripe com direito a febre, nariz muito entupido, antibiótico… Caos total! Tirando essa doencinha chata… Consegui terminar o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida como eu tinha me proposto desde o início. Todo dia tiro meia-hora no trabalho para ordenhar o leite.

Papai leva ele na creche de manhã e eu pego depois do trabalho. Aos poucos estamos nos adaptando a nova rotina. Acredito que por conta disso, esse mês ele acordou bastante a noite para mamar, às vezes demorava a voltar a dormir, queria ficar no colo e às vezes para brincar.

A grande descoberta este mês foi aprender a sentar sozinho! Ele já fica bastante tempo sem encostar as costinhas ou sem cair. Agora para andar de carrinho, o assento tem que estar totalmente na vertical, ele vai olhando pela sua janelinha. Delícia, delicia!

Ainda não temos dentes, mas ele anda com uma aflição grande na gengiva! E começou a babar loucamente! Tenho que mandar babador para creche para a roupinha não ficar molhada.

Este mês Biel cresceu um pouquinho só, mas recuperou o peso perdido durante a gripe e ainda ganhou mais trezentos gramas! A consulta aconteceu em 19/9 e neste mês Biel cresceu 0,5 cm e engordou 310g. Biel está pesando 7,670kg e 65cm.

Share:

Introdução alimentar

Amamentação, Bebê | Criança By 23 de setembro de 2013 Tags: 13 Comments

Com cinco meses e meio, ele começou na creche, eu voltei para o trabalho. Nossa primeira separação. Entre mortos e feridos, nos salvamos todos. Ele fica bem lá, gosta das tias, dos brinquedos diferentes, dos amiguinhos. Apenas uma vez, ele chorou desesperado para vir para o meu colo na hora da saída, me deu um aperto no coração. Ele chorou e eu quase chorei.

Dezoito de setembro chegou e ele fez seis meses. No dia seguinte fomos no pediatra para a consulta do sexto mês e pegar as indicações sobre introdução alimentar (I.A.). Tinha combinado na creche, que a IA só começaria hoje (23/9), pois eu seria a primeira pessoa a dar papinha de fruta, salgada, suco e tudo mais.

Óbvio que antes de chegar no pediatra já tinha feito a lição de casa, já tinha entrado em grupo no facebook, lido um monte de blogs, artigos, etc. Vi que existem zilhões de teorias e que ao invés de me sentir segura com uma, fiquei ainda mais confusa com todas as possibilidades. Tem gente que começa pelas frutas e fica assim por um tempo, tem gente que começa fruta   e papinha salgada com apenas dois legumes, tem gente que recrimina suco e por aí vai.

Primeiro passo foi pedir o cardápio da creche e surtar com ele. Como o berçário I tem crianças de quatro meses até um ano e pouquinho, o cardápio já era daqueles “completões”, cheio de coisas e para todos os gostos. Eu, mãe de primeira viagem, surtei e achei que Biel tinha que entrar naquele ritmo, já tinha separado um monte de artigos para imprimir e levar para creche e tal, para conversar/ mostrar que um bebê não poderia comer aquilo que eles estavam propondo.

Até que resolvi perguntar, né? Somos “gente fina, elegante e sincera” e descobri que eu tinha que passar as instruções do pediatra sobre a I.A. e que eles seguiriam a risca! Ufa! Sai sexta da creche em direção ao hortifrúti comprar um monte de frutinhas, legumes para o final de semana de experiências gastronômicas.

Resolvi começar pelas frutas. Cheguei em casa animada do hortifrúti e resolvi dar mamão para ele experimentar. Comeu algumas colheres, alternou caretas e sorrisos, mas comeu com curiosidade. No dia seguinte (sábado), ofereci o suco de laranja lima e ele bebeu quase 50ml. Depois ofereci uns golinhos de água de côco e ele aceitou bem. Aí chegou a hora da papinha salgada e eu surtei.

Simplesmente não sabia o que fazer. Não tinha conseguido decidir por uma única receita, não tinha decido que linha seguir. Resolvi oferecer o mamão de novo no lugar da papinha salgada e o resto do dia seria peito.

Na minha cabeça até domingo as coisas iriam se esclarecer na minha cabeça, mas não. Continuava perdida, insegura. Comecei a achar que deveria ter introduzido alimentos antes dos seis meses, para ter tido a calma para dar a primeira semana só de frutas isoladas, depois fazer papinhas doces, só depois oferecer as salgadas. Culpei meu trabalho por não me permitir ter ficado os sete meses com meu filho e fazer essa transição de modo tranquilo, já que os seis meses de aleitamento exclusivo (para mim) é/ foi muito importante. Enfim, sofri mesmo e me culpei de todas as formas que é possível para uma mãe (gente, mãe sofre!).

De certa forma, essa é a nossa “segunda separação”. Até então eu fui a única fonte de alimento do Biel. O meu leite é/ foi alimento, amor.  Pode parecer besteira, mas isso mexeu comigo…

… Até que… resolvi relaxar. Parar de me cobrar desta forma e fazer o meu melhor. Na hora do almoço dele ofereci bananinha amassada (ele comeu praticamente tudo! amou banana! e sim, fui eu quem dei! quem me conhece sabe que passo mal só de sentir o cheiro da fruta… mas amor de mãe é realmente uma coisa). Depois disso, ele ainda mamou no meu peito e dormiu. E eu dormi junto com ele, abraçadinho. E assim dormimos por umas três ou quatro horas em pleno domingo a tarde.

Acordamos, marido ficou com ele e eu resolvi fazer a papinha salgada. Fiz cenoura e batatinha no vapor, coloquei menos de uma pitada de sal, amassei com o garfo e ofereci. Ele comeu algumas muitas colheradas (não contei), mas comeu menos que a banana. Afinal, o leite materno é docinho, né? foi a primeira vez que ele comeu sal.

A noite chegou a vez de escrever na agenda, todas as instruções para a creche seguir nesta primeira semana de I.A. Fiz um mix entre as instruções do pediatra e o meu feeling de mãe de primeira viagem que acredita estar fazendo o melhor para o seu filho.

Para a creche:
– Colação: suco de laranja lima
– Almoço: papinha salgada com dois legumes (batata inglesa, baroa, doce, cenoura, chuchu, beterraba, abóbora)
– Sobremesa: nenhuma
– Lanche: fruta amassadinha (mamão, banana, maçã ou pêra)
– Jantar: leite materno

Em casa (durante a semana):
– Livre demanda de leite materno

* Final de semana vou seguir os horários da creche para criar uma rotina para ele.

Passei o dia ansiosa, tensa de como seria aceitação do Biel. Enviei leite a mais, caso ele não aceitasse as comidinhas. Pensei em ligar para a creche, mas me segurei e pensei: “se der algum problema, eles vão te ligar”. E deu!

Cheguei lá, a tia foi só elogios para o Biel. Disse que ele comeu muito bem, mas que ainda estranha a água. E que quando chegou a hora do jantar, devorou o leitinho da mamãe aqui! Muito amor! E assim, vamos seguindo! Semana que vem volto para contar nossos avanços (:

Share:

Chupeta não

Bebê | Criança By 12 de setembro de 2013 Tags: 11 Comments

Já estamos no final da primeira semana “a vera” da nossa nova realidade. Biel foi a creche todos os dias, ficou lá o dia inteiro. Sempre mando leite a mais, mas ele tem mamado três mamadeiras de 150ml cada. As tias falam que ele é um bebê calmo, interage e brinca bastante. Ele demonstra gostar do ambiente, olha tudo com curiosidade.

Quando chegamos em casa é tudo muito corrido. Tenho que esterelizar mamadeira, copo, bomba elétrica, dar banho, arrumar bolsa com as roupinhas dele para o dia seguinte, tirar leite, dar peito, colocar para dormir. É cansativo, mas depois abordo isso em outro post, que o assunto é looongo.

Biel não estranhou ficar na creche, mas sinto que ele ta bem carentinho a noite. Quando chegamos em casa ele quer ficar grudado em mim o tempo todo, o que dificulta o processo de organizar tudo e a noite… A noite tem sido mais difícil. Teve uma noite que ele simplesmente acordou SEIS vezes para mamar, brincar, ficar no colo. Biel nunca tinha acordado SEIS vezes na vida! No máximo quatro. Tenho conversado muito com ele, explicado, mas entendo e compreendo que isso aconteça.

Na quarta, quando fui buscar Biel na creche, aconteceu algo que não curti muito, sei lá. Estou tentando não ficar neurótica em relação a isso e ver quais serão as cenas dos próximos capítulos. Até porque não quero vestir a camisa de que só eu sou boa para o meu filho…. Enfim, a tia da creche já tinha me perguntado na entrevista antes do Biel começar a adaptação se ele usava chupeta, se eu era contra e tal. Eu falei que era contra e que ele não usava. Na quarta, ela veio conversar comigo se eu topava dar chupeta para ele, porque ele estava chorando na hora de dormir, que só queria colo e tal e que neste caso a chupeta facilitaria o processo.

Meu filho não é de chorar, chora quando está ficando com fome, para pedir peito e chora quando está com soninho e está brigando contra ele. Se deixar ele não dorme durante o dia para aproveitar cada segundo. Super normal. Tem dias que será mais difícil e outros que serão mais fáceis, assim como qualquer outro bebê. Ainda mais se levarmos em consideração que esta é a primeira semana que ele fica o dia inteiro, vários dias seguidos. Acho que com o tempo as coisas vão entrar no eixo, ele vai se acostumar.

Eu fui um bebê que não usei chupeta, eu acho que é uma muleta emocional (porque na verdade, o baby quer a mãe, carinho, anteção), estraga a arcada dentária se usada por muito tempo, entre outras coisas, ou seja, eu só vejo desvantagem – mas isso é a minha opinião, respeito quem dê.

Confesso, que com quando Biel tinha cinco dias de vida, estava com os dois seios feridos, e ele ficou no meu seio por quatro horas s-e-g-u-i-d-a-s, eu tentei dar a maldita chupeta. Botei na boca dele (até tirei foto), ele ficou por um minuto com ela na boca, sugando a chupeta com uma carinha de aflito. Quando ele percebeu que não saía leite, ele cuspiu longe e ficou mais puto ainda… chorou ainda mais. Depois disso, eu nunca mais tentei. Se ele viveu quase seis meses sem, agora não quero mesmo que ele comece a usar. Ainda mais com essa desculpa, “de facilitar”.

Eu argumentei que é tudo muito novo para ele, que elas tinham que ver por esse lado, que a noite ele está mais carente, que pede mais colo quando chega em casa, tenho que fazer tudo com ele no meu colo, que está acordando mais vezes por noite para mamar. Neste ponto, ela me falou que eu não tinha que dar colo para ele quando chego em casa, que eu tinha que acostumá-lo no chão. Desculpe, não vou deixar meu filho chorando. Não concordo com essa teoria que a criança tem que aprender a ser independente com seis meses de vida….

Só tenho medo que seja criada/ gerada uma má vontade com o meu filho. Escolhi um lugar bacana, bem recomendado e como falei, ele aparentemente gosta de ir para lá e ficar lá… As tias são carinhosas, cuidadosas, mas sei lá, esse episódio não me desceu bem.

Share:

Retorno ao trabalho

Bebê | Criança By 8 de setembro de 2013 Tags: , 7 Comments

A semana que passou foi… diferente. Muitas sensações novas, queria ter registrado minhas impressões, mas mão deu. Simples assim. Domingo passado (1/9) Biel começou a apresentar sinais de que estava ficando doente. Já a noite o nariz entupido não deixou meu filhote dormir. Só consegui fazer ele dormir no meu colo, ou seja de manhã eu estava um zumbi e decidi que não mandaria ele para creche. Simplesmente não tinha condição. Liguei para a minha irmã sete da manhã e consegui que ela viesse correndo passar o dia com ele.

Fui fazer exame de retorno, depois segui para a minha estação de trabalho. Minha equipe de trabalho fofa tinha organizado um café da manhã para mim. Claro que eu chorei, até aquele momento eu não tinha tido muito tempo para processar as informações. O coração estava duplamente apertado, pela volta ao trabalho, pela separação do meu filho e pela apreensão de ter o meu filho doente pela primeira vez e eu estava longe.

Consegui agendar o pediatra para o final do dia. Chegando lá, ele pesou, tirou temperatura, auscultou o pulmão, olhou garganta, ouvido. Tudo Ok, tirando a febre que já tinha aparecido e o nariz bem entupido. Resfriado comum, carinho, colo, leite materno, soro fisiológico para limpar o nariz e anti-térmico quando a febre aparecesse.

As noites que se seguiram foram difíceis. Banho e anti-térmico para baixar a febre que graças não chegou a ficar alta. Biel acordando quatro/ cinco vezes por noite para mamar e porque simplesmente não conseguia respirar. Coloquei meu travesseiro no bercinho dele, ele praticamente dormiu sentado nesta última semana. Muito soro fisiológico para limpar o nariz, aquele treco de sugar meleca, um pouquinho de vicky na pontinha do nariz e (pasmem) uma cebola cortada ao meio na cabeceira do berço do Biel.

Não, não foi o pediatra que passou isso! heheheh Eu lembrei que na minha adolescência eu li um livro chamado “O poder das plantas” e lá falava que a cebola mata os ácaros, purifica o ar, ajuda a soltar a coriza, entre outras coisas. Pena que não lembrei disso logo de cara, só na terça, mas desde que passei a colocar a cebola ele dormiu melhor.

Os dias foram passando, rolou um mega revezamento de familiares para cuidar do Biel (irmã, pai, sogra, …) . Na quinta, ainda tinha febre de vez em quando e o nariz continuava bem entupido. Marquei nova consulta com o pediatra e pedi para minha sogra me encontrar lá com o Biel – para mim seria mais fácil ir direto do trabalho.

Cheguei lá me assustei, ele estava muito molinho, sem forças, sabe? até o choro estava fraco. Naquele dia, ele mamou comigo por volta de oito e pouco da manhã e ao longo do dia só tinha aceitado 150ml de forma espaçada. Isso é muito pouco. Muito! Ele emagreceu nesses dias … O pediatra examinou e viu que o quadro tinha evoluído para uma otite e por isso a febre não ia embora. Não teve jeito, Biel teve que entrar no antibiótico (ATB). Serão doze dias.

Vinte e quatro horas depois da ação do ATB Biel já estava mais animado… Enfim, só amanhã (9/9) é que vamos de fato começar a nova rotina. Ele vai para creche e eu para o trabalho. Depois volto para contar como foi e sem a preocupação de ver meu filhote doente.

ps. neste turbilhão todo, acabou que eu fiquei doente também
Share:

Adaptação na creche – parte 2

Amamentação, Bebê | Criança By 28 de agosto de 2013 Tags: 6 Comments

Ontem (27/8) Biel ficou pela primeira vez mais do que três horas na creche. Precisei fazer uma série coisas na rua, estava frio, chovendo e por isso não quis levá-lo a tira colo. Além do mais, é importante também que ele fique um pouco mais do que três horas para acostumar gradativamente.

Oferta de leite materno
Amamentei ao todo três vezes (sendo uma quando deixei, uma no meio do dia e outra quando cheguei na creche para buscá-lo) e uma outra vez o meu LM (leite materno) foi oferecido pela tia na mamadeira que mandei.

Esse era um dos meus maiores medos: a aceitação da mamadeira ou de qualquer outra fonte de LM que não fosse o meu seio. A tia da creche me deixou de sobreaviso que caso ela não conseguisse oferecer ela iria me ligar para eu ir lá amamentar. Eu estava torcendo para que desse tudo certo, porque eu estava perto longe de casa, nada do que 20 minutos de táxi não resolvesse, mas imagina o stress e vai que eu pego um trânsito louco?

Acabou que ele mamou 100ml dos 150ml que foi oferecido, muito bom, né? eu achei e fiquei feliz e aliviada.

Noite de sono
Biel sempre dormiu bem, era raro acordar três vezes numa noite para mamar. Normalmente eram duas. Com o último pico de crescimento isso mudou um pouco e foi um mês e meio difícil nesse aspecto, mas já tinha passado.

Na primeira semana da adaptação Biel acordou um pouco mais, mas no final de semana por ex. acordou uma vez por noite. Aí bastou ele ficar mais tempo na creche para simplesmente acordar quatro vezes e despertar para a vida às 5am!

E não era só fome, sabe? Primeiro porque na primeira vez ele acordou duas horas depois de mamar bastante e berrava e ele não é de chorar assim. Segundo porque se fosse só fome bastava ele ficar dez minutos como o de costume e pronto, mas não… ele queria ficar ali no aconchego. Justo, né? Peito não é só alimento e é a nossa primeira separação que está sendo “antecipada”.

Até os nove meses (ou até começar engatinhar/ andar) o baby não se vê como um indivíduo único e separado da mãe. Mas acredito que com essa distância por algumas horas por dia, aconteça uma consciência precoce desta separação e isso deve trazer uma certa ansiedade.

Quero que ele tenha certeza que estarei sempre disponível para ele. E confesso que eu também preciso dessa troca com ele, desse contato. Na primeira vez que ele acordou conversei, expliquei isso, que ele vai ficar na creche, mas que eu sempre vou buscá-lo. E vou conversar todos os dias de manhã, contando como será o nosso dia, nossa rotina e a noite. Quem sabe assim ele comece aos poucos se sentir mais confiante de que estou com ele física (meu seio) e emocionalmente (meu amor e minha alma).

Para terminar… levanta a mão quem vai virar zumbi nos próximos meses? imagina se o padrão desta noite se repetir a partir de segunda que vem, que é quando eu volto a trabalhar? rss

Share: