Sim, creche!
Sim, eu tenho apenas 19ª semanas de gravidez.
Sim, teoricamente faltam mais 21ª semanas.
Sim, eu acho que é cedo para procurar creche.
Mas descobri que NÃO!  Não é cedo para procurar creche!

E foi assim que me surpreendi ao procurar uma creche perto de casa (leia-se dez minutos de caminhada) e descobri que não tem vagas para o ano de 2013. Perceberam a expressão grifada na sentença anterior? Pois é, parece que a região que eu moro não é muito agraciada pela presença de creches, sendo assim, as que existem são disputadíssimas. O berçário tem dezesseis vagas e já existem onze pessoas na frente. Como? Uma mulher se descobre grávida e no dia seguinte vai lá e coloca o nome na fila de espera, ou seja, ela engravidou provavelmente em junho, em julho a primeira mãe colocou seu nome na lista e o filho só nasce em fevereiro de 2013.

O mais engraçado é que para ser chamada para a vaga existe uma combinação aleatória de dados, misturadas com pitadas de sorte. Acompanha o raciocínio:
Meu filho nasce em algum momento de março (23/3 completa 40 semanas), isso varia um pouco, ainda mais porque quero entrar em trabalho de parto. Eu tinha pensado em colocá-lo na creche apenas com seis meses (4 meses de licença maternidade + 1 mês de férias minhas + 20 dias de férias do maridón), isso seria final de agosto, início de setembro. Maaas, entretanto, porém, contudo, todavia, é mais fácil conseguir a vaga se meu filho entrar com quatro meses. Pois, a creche dá preferência para crianças que vão aproveitar mais o berçário.

E como surge vaga no berçário? Bem, essa é uma outra resposta imprecisa, pois não depende da idade. A criança só muda de turma quando começar a andar firme, ou seja, varia de acordo com a evolução de cada um e assim por diante. Temos que torcer para que algum baby comece a andar em junho/ julho e o nosso nome seja o próximo da fila. Sentiu o drama?

Maridón perguntou desde quando está assim, se a gente tivesse ido ano em julho (junto com as primeiras mães da fila) a gente teria conseguido. Ela respondeu que não, que há dois anos está assim, sempre lotado. A verdade é que existem poucas creches no bairro e essa é a mais perto da nossa casa. As outras são mais longe (tipo, meia-hora andando) e são mais surreais ainda. Ex. uma diz que o ano letivo começa em março, então quer que a gente comece a pagar as mensalidades em março, mesmo que o nosso filho só entre em julho “para garantir a vaga”.

Algumas pessoas sugeriram colocar em creches em outros bairros, não descartamos a hipótese, mas imagina logística de carro, trânsito ou transporte escolar. Outras pessoas sugeriram babá, não curto muito a ideia. Enfim, ainda não chegamos a nenhuma conclusão. To na torcida para que as coisas clareiem ou que a gente consiga uma vaga na primeira creche! #desesperomodeon

Share: