Primeiro dia o tema abordado foi amamentação e saúde bucal, no segundo dia foi da concepção ao parto e sobre atividade física para gestantes. No terceiro dia foi sobre acompanhamento pediátrico do recém-nascido e maternidade e aspectos ocupacionais e de psicologia. Do terceiro dia de curso, só vou abordar a parte que falou sobre o recém nascido, porque a outra palestra foi muito específica para o local que eu trabalho, então não vale a pena compartilhar.

Ou melhor, vou falar só uma coisinha sobre a parte psicológica do parto!
* Ansiedade e medo interferem na contração uterina, prolongando ou prejudicando o progresso da dilatação do colo do útero.

Ah, vale ressaltar que não sou médica, sou apenas curiosa sobre assunto e estou repassando a minha visão sobre o que aprendi (:

Esse é o bebê que me acompanhou durante todo o curso de gestantes =)

– Acompanhamento pediátrico do recém-nascido
A palestra foi ministrada por uma pediatra e ela começou com uma frase que acredito muito: “Parto é um fenômeno biológico e que o corpo avisa quando o bebê está pronto”.

Ela começou explicando que um bebê que nasce antes da 37ª semana é considerado prematuro e pós-maturo após 42ª semana. Seguiu falando sobre os tipos de parto e sobre as condições do bebê no momento pós-parto e o tal índice de Apgar, que eu sabia o que existia, mas não sabia o que era exatamente.

O Apgar é um teste desenvolvido por uma médica chamada Dra. Virginia Apgar, que consiste na avaliação de 5 sinais no primeiro, no quinto e no décimo minuto após o nascimento. A cadasinal é atribuído uma nota de 0 a 2. Os sinais avaliados são: freqüência cardíaca, respiração, tônus muscular, reflexo e cor da pele. O somatório da pontuação (no mínimo zero e no máximo dez) resultará no índice de Apgar. Atualmente existe uma corrente de médicos que acreditam que a cor do recém-nascido (RN) é compatível com o nível de oxigenação no sangue do bebê e que existem outros testes mais precisos para isso.

Se após esses passos iniciais o RN estiver bem, deve-se estimular o contato mãe-bebê ainda na sala, independente de ser cesárea ou PN. Se possivel, estimular que o bebê mame, ou pelo menos tente mamar. Isso é importante para o bebê e para mãe, pois esse primeiro contato vai ajudar no processo de expulsar a placenta e fazer o útero voltar aos poucos ao tamanho normal. Cortar o cordão umbilical e depois existem algumas intervenções que não vou nem abordar porque sei que existem correntes que são a favor, outras contra e como não existe certo e nem errado, vou me eximir disso.

Entre a primeira e a segunda hora de vida, após um parto normal, ele é capaz de fixar objetos visualmente, acompanhar movimentos e dar atenção ao que se assemelha a face humana. Muitos falam que o bebê é capaz de reconhecer o rosto e a voz da mãe e do pai logo ao nascer.

Na primeira 24h, o bebê vai fazer seu primeiro cocozinho, também chamado de mecônio, que é bem escuro e viscoso. Com três, quatro dias de vida a cor das fezes vão se modificar.

Nos primeiros meses de vida, o bebê ainda não tem o seu “termostato” maduro, por isso é comum vermos bebês pequeninos cheio de roupinha, manta, luva, etc. O bebê fica na temperatura ambiente, ele troca com o meio. Para ver se seu filho (a) está com frio, basta ver se a mãozinha ou pezinho dele está gelado. Se ele estiver com calor, ele vai ficar vermelho e agitado.

A pediatra também abordou a importância do aleitamento materno, reforçou que o bebê não deve tomar nada além de leite até os seis meses de idade (nada, nem água ou chá) e que não deve passar mais 4 horas sem mamar até os primeiros dois meses de vida, OU SEJA, mesmo se o baby estiver dormindo, tem que acordar para mamar!

O umbigo deve cair a partir do sétimo dia de vida, até este momento, a pediatra aconselhou dar banho apenas uma vez por dia e sem imersão total na água. Quanto mais umedecer o umbigo, mais tempo ele vai demorar para cair. Após o banho e cada troca de fralda, limpar o umbigo e sua base com álcool 70%.

A cada troca de fralda limpe bem as dobrinhas dos meninos e das meninas. Nesses primeiros meses ferva sempre a água antes de usar, mas não é para usar a água fervendo, né genthy? a água deve estar morna na hora de usar no baby! Ela recomendou usar aqueles lenços umedecidos apenas na rua, para facilitar. Ela disse que esses lenços não são ideias de usar toda hora porque eles retiram a camada de proteção da pele. AH, e em hipótese alguma esses lenços podem ter álcool em sua composição.

Até o quinto mês de vida existe o risco de morte súbita, então não deixe o seu filho dormindo de bruços.

Como pegar o bebê: apoie sempre a cabeça e o bumbum, evite fazer movimentos bruscos.

Share: