Primeiro corte de cabelo oficial

Bebê | Criança By 27 de agosto de 2014 Tags: , 3 Comments

“Oficial” porque esta mãe que escreve por essas bandas daqui já tinha se arriscado a cortar o cabelo da cria três vezes. A primeira ficou perfeito dentro das possibilidades, a segunda ficou horrível com falhas e aquela franja medonha espanhola e a terceira vez foi para tentar consertar o estrago da segunda haha

Cabelo do Biel já tinha crescido de novo e como ele não para mais quieto para nada nesta vida, só quando dorme (e criança dormindo não se mexe), resolvi passar a demanda para de fato quem entende do assunto. No caminho casa-creche, creche-casa tem um salão pequeno, mas que tem aquelas cadeiras-carrinho.

Corte cabelo de criança

Primeiro corte de cabelo do Biel

Eu, mãe-bobinha-de-primeira-viagem, tinha a doce de ilusão de que iria escolher um corte de cabelo, néam? Mas não… foi o que deu, já que Biel não parou um segundo na cadeira, brincava de dirigir, levantar e com todos os outros brinquedos que o cabebeleiro dava na mãozinha dele para distraí-lo.

1cortecabelo_BIEL_MAISJU_2

Corte em diversos ângulos.

Eu, mãe-bobona-de-primeira-viagem, fiquei com um aperto no coração porque o novo corte de cabelo denunciou ainda mais que ele está perdendo a carinha de bebê e ficando com cara de MENINO.

E como ele não para nunca, tem sido difícil tirar foto dele… Posar? impossível! Então fica a tentativa frustrada de tirar uma foto decente do corte de cabelo. HA-HA

Share:

“não é a mamãe”

Bebê | Criança By 4 de agosto de 2014 Tags: 2 Comments

Há alguns meses não quer saber de ninguém, no melhor estilo “não é a mamãe” do Baby da família Dinossauro.

Não adianta estar no mesmo ambiente, tem vezes que só meu colo serve, senão rola choro. E quem é mãe sabe o quão angustiante é ouvir o choro de um filho. Só que não dá para ficar com um baby a tira-colo pela casa 24h por dia, né? Eu preciso comer, ir ao banheiro, arrumar a casa, tomar banho, trocar de roupa… essas coisas banais só que não do dia a dia.

Sei que isso faz parte da fase. Começou por vota do nono mês, bem na época que os especialistas falam sobre a “ansiedade da separação”. Compreendo a angústia das novas descobertas, de ter a consciência de que de fato é um ser independente de mim e que eu sou o seu porto seguro e tal, mas cansa.

Nos mudamos de apartamento em março e só nas férias que tirei do trabalho (em julho) é que pude começar a colocar a casa em ordem. Porque no dia a dia, quando chego do trabalho 0u no final de semana não sobra tempo, Biel me exige em tempo integral, o que eu acho super justo, já que passamos boa parte do nosso dia separados. Ele na creche e eu no trabalho… Mas, às vezes cansa. Cansa ser a única que resolve em determinados momentos. E foi deste cansaço que surgiu a ideia das dezoito horas de férias por mês.

Sei que no fundo  tenho um pouco de culpa nisso. Quando Biel nasceu fui invadida por um amor sem tamanho, um medo e por um monte de outros sentimentos esquisitos e confusos. Eu queria fazer tudo em relação a sua vida: T-U-D-O. Pedia ajuda aos outros para qualquer outra coisa, menos com os cuidados do Biel. Nada era terceirizado.

E por muito  tempo fui feliz desta forma, só que a licença maternidade acabou, voltei a trabalhar e fui voltando aos poucos a rotina e começou a ficar pesado. Mesmo assim relutei em terceirizar, pedir ajuda e confesso que até hoje ainda reluto. Com isso, Biel é um bebê fofo, carinhoso, simpático, mas que em certas horas não aceita ninguém se não for eu. Óquei, tem a “ansiedade da separação”, mas talvez se eu tivesse permitido/aceitado mais ajuda em determinados momentos, agora a “ansiedade” fosse mais branda.

Aos poucos, estou conseguindo reverter isso e deixá-lo mais independente de mim e aceitar mais o mundo. Não tem jeito, é aquela história: um dia de cada vez e é errando que se aprende.

Share:

Quinhentos dias de amamentação

Amamentação, Bebê | Criança By 31 de julho de 2014 Tags: , 2 Comments
500diasmamentação_MAISJU

Quinhentos dias de amamentação

Q-U-I-N-H-E-N-T-O-S DIAS!

Nem acredito que estamos aqui, firmes e fortes seguindo na amamentação. Sem pensar em parar. Seguindo o nosso sentimento.

Quando estava grávida, amamentar era apenas uma vontade, uma vontade muito grande confesso, mas que sempre existiu acompanhada do medo de não conseguir, de fracassar. Aos poucos fui vencendo meus medos, minhas angustias. Estabeleci pequenas etapas a serem concluídas. Primeiro foi conseguir ter leite, depois persistir na dor da amamentação dos primeiros dias e o cansaço. Passado isso, foi a hora de colocar como meta os seis meses de aleitamento exclusivo. Depois de chegar ao primeiro ano. Passamos dos 365 dias e estamos em quinhentos.

Foi cansativo? Foi sim. É prático? Muito! Mas dá trabalho porque peito ninguém mais pode dar a não ser a mãe. Mas a recompensa é enorme! Vale muito.

Não tenho pretensão de amamentar por muito mais tempo, minha ideia é desmamar aos dois anos. Ainda não faço ideia de como farei esse processo. Penso em algo que não seja traumático (para mim e para ele), que seja natural e para falar a verdade nem sei se existe essa possibilidade. Mas como desmamar ainda não é uma opção ou nossa prioridade, ainda não comecei a pensar ou estudar a melhor forma…

Só me preocupo em comemorar as pequenas vitórias <3

Share:

18 Horas

filhote By 29 de julho de 2014 7 Comments

Ainda era noite, um frio, barulho de chuva lá fora. Esqueci que tenho todo um cronograma de manhã e liguei a soneca duas vezes. Pulei da cama e travei uma corrida contra o tempo. Ontem era um dia que não poderia perder o ônibus do trabalho. Na mamada da madruga, ele vem para a nossa cama e termina a noite com a gente. E de manhã, quando sente que saí da cama, acaba acordando. Mas ontem consegui me arrumar correndo, sem fazer barulho e logo sem acordar. Acabei saindo para trabalhar sem amamentá-lo.

Passei o dia na rua  me dividindo entre trabalho e outras questões burocráticas da vida. No final do dia ganhei um vale happy-hour do marido e da minha mãe. Encontrei alguns amigos, bati papo, me diverti. Cheguei em casa antes das nove. Estava crente que ainda pegaria ele acordado. Nada, já estava dormindo.

Dormiu com a minha mãe. E segundo ela, em no máximo quinze minutos. Comigo, num dia tranquilo, pelo menos meia-hora. Situações como essa, em que estou longe de casa na hora de dormir, são raras. Acabou que dormimos juntos alguma parte da noite nos dois dias, mas não interagimos ontem. Ele “não me viu” nas últimas vinte e quatro horas. E hoje, de manhã também não, sai antes dele acordar. Marido disse que ele ficou meio choroso, me procurando pela casa.

Dá uma dó, um aperto no coração. Mas, por outro lado, eu estou precisando desses momentos de “independência”. Quem me acompanha/conhece sabe como mergulhei na maternidade. Desde que Biel nasceu eu fui responsável por quase tudo em sua vida. Amo participar e me dedicar a cada detalhe. Mas às vezes, só às vezes, sinto que preciso de férias.

Sou humilde. Não peço um mês, nem uma semana. Já andei fazendo uns cálculos loucos e cheguei a conclusão de que precisava de 18 horas (D-E-Z-O-I-T-O) de “férias” por mês.  Explico: umas oito horas para sair para jantar, ir ao cinema com o marido ou até mesmo sair para beber com ele e amigos. Depois chegar em casa e não ter que cuidar de ninguém (nem de mim) e dormir a noite toda, umas dez horas seguidas até meu corpo doer de tanto dormir.

Por enquanto, ainda não é possível. E digo isso não só por ele, mas por mim também. Mas aos poucos vamos caminhando para esta direção, no nosso ritmo. Porque na maternidade não há certo ou errado, e sim o que funciona hoje e amanhã talvez não.

Share:

mãmãmãmã

Bebê | Criança By 21 de julho de 2014 Tags: 2 Comments

Já que eu vim chorar pitangas no colo de vocês dizendo que Biel não falava mãe, mamãe e nem mãmãmãmã, ou qualquer coisa que seja parecida, tenho que voltar aqui para dizer que ele já fala, né? Sejamos justas.

Tiramos férias, viajamos para um lugar lindo de viver (me segue no IG para acompanhar nossas peripécias – @maisju) e assim, de uma hora para outra, ele falou mãmã, evoluiu para mãmãmã emendou com um mamãããe. Era tarde da noite, eu já estava cansada, ele enrolando para dormir. Já estava ficando sem paciência. Deixei ele com o pai para ir ao banheiro e ele começou a chorar e falou o mãmãmãmãin. Eu escutei, mas não achei que fosse. Mas na mesma hora eu marido comentou, “você viu o que ele falou?” hahahahah

Morri de amores! Delícia da mamãe!

De lá para cá, ele já falou várias vezes, mas ainda de maneira tímida e espaça. De qualquer forma, já deixou essa mãe aqui muito feliz ♥

Share:

Festinha de UM ano – creche

Bebê | Criança By 18 de julho de 2014 Tags: , , 5 Comments

A festinha na creche aconteceu no próprio dia 18 de março, de tarde. Foi tudo muito simples, pois a creche não deixa levar decoração. Para comer só poderia levar um bolo de laranja e biscoito de polvilho. O suco era natural e fornecido pela própria creche. Só o pai e a mãe poderiam estar presentes.

Eu tinha encomendado bolas, guardanapos e uma vela especial com mais de um mês de antecedência, mas o correio me trollou e não entregou a tempo. Pelo rastreio, a minha encomenda saía para entrega todos os dias há mais de uma semana e não era entregue. E como Murphy é um cara muito legal #sóquenão, a encomenda chegou naquele mesmo dia… depois da festa da escola.

Mesmo sem poder fazer decoração, eu usei um tema para o convite e para as lembrancinhas dos pequenos: fundo do mar. Biel ama água, praia, piscina… Banho então… nem se fala.

A ideia era usar o mesmo tema para a festinha da creche e da família. Consegui encomendar com a Lahna, do blog Casa com Amor, os carimbos para usar na papelaria. Aí os  poucos fui montando, vou mostrar só um pouquinho aqui, porque senão na postagem da festinha da família vai ficar sem graça, ok?

Imprimi o convite em tamanho pequeno, coube naqueles envelopes 5X7cm

Imprimi o convite em tamanho pequeno, coube naqueles envelopes 5X7cm

Todos os envelopes foram carimbados com o cavalo marinho e com a alga. Em cada um carimbei em locais diferentes, de forma que nenhum ficou igual ao outro.

Todos os envelopes foram carimbados com o cavalo marinho e com a alga. Em cada um carimbei em locais diferentes, de forma que nenhum ficou igual ao outro.

As lembracinhas das crianças: dedoches! Já as tias receberam cinco trufas cada. Todas as lembrancinhas foram nesse saquinho de estampa chevron, carimbados também =)

As lembracinhas das crianças: dedoches! Já as tias receberam cinco trufas cada. Todas as lembrancinhas foram nesse saquinho de estampa chevron, carimbados também =)

Suco de laranja e goiaba e bolo de laranja

Suco de laranja e goiaba e bolo de laranja

A querida tia Lúcia contando histórinhas

aniversário de um ano

Na hora do parabéns!

1A_maisju2

Comendo bolo pela primeira vez!

1A_maisju3

O bolo ficou uma delícia, as tias adoraram e as crianças também!

Para assistir parte do “parabéns” que eu filmei, clique aqui.

Share:

12º mesaniversário ou UM ANO

Bebê | Criança By 17 de julho de 2014 Tags: , , 1 Comment
montagem1ano_blogMAISJU

Gabriel completou seu primeiro aninho de vida! Gostosura pura!

UM ANO DA MINHA DELÍCIA!

Essa sequência de fotos não está tããão incrível, porque tirei quando chegamos da creche, depois da festinha de aniversário. Então, ele estava cansadinho, com soninho. Mas ta valendo =D

Com um ano, minha delícia passa boa parte do tempo em pé, andando apoiado nas coisas ou com nossa ajuda, mas ainda com receio de arriscar dar passos sozinhos. Fala algumas sílabas, compreende muito do que a gente fala com ele e não quer parar para NADA nesta vida. Ficar deitado? só se estiver dormindo. Trocar fralda tem virado missão impossível. A cada troca temos que dar um objeto inédito para ele analisar e se entreter durante a troca.

Continuamos firme e forte com a amamentação e completamos os doze meses com dentinhos nascendo. Tirar as fotos mensais está ficando impossível. Basta reparar que tive que colocar um DVD para ele ficar “parado” para “posar” para foto e mesmo assim eu tive que “centralizar” ele no sofá algumas vezes.

Como está cada vez mais difícil tirar foto do Biel, vou tentar fazer o acompanhamento de seis em seis meses ou de ano em ano. Enquanto não chega a próxima foto, vamos acompanhar todos os meses, todas as fotos desde o seu nascimento, postada na categoria mesaniversário?

Na época do aniversário, minha delícia deliciosa estava medindo 75cm e pesando 9,540kg.

Share:

Mesaniversário: 11º mês

Bebê | Criança By 17 de julho de 2014 Tags: , , No Comments
montagem-11meses_BLOGmaisju

Décimo primeiro mesaniversário

Bem, não faz muito sentido escrever grandes coisas sobre o décimo primeiro mês de vida do meu pequeno… já passou muito tempo, mas queria deixar registrado seu décimo primeiro mês de vida, a fase em que ele está. Além, claro do seu peso e altura.

Meu pequeno neste ponto de sua vida só queria saber de chão, mas ainda só engatinhando. Nada de andar… Andar só se apoiando nos móveis. O que tornou sair com ele um pouco complicado. Imagina sair com um baby lindo, limpinho, cheirosinho e na primeira oportunidade ele se tacar no chão para engatinhar. E quando eu digo chão, é QUALQUER chão. Pode ser o da sua casa, mas pode ser o da rua também, de um restaurante, boteco… Legal, né? #SóQueNão

Confesso que prefiro um recém-nascido que fica plugado no peito vinte e quatro horas do que um bebê nesta fase… risos. Como desejei que essa fase passasse logo e ele começasse logo a andar. Sério.

Biel completou onze meses pesando 9,4kg e medindo 74cm.

Share:

Mamãe que é bom nada!

Bebê | Criança By 30 de maio de 2014 Tags: 6 Comments

Daqui a pouco ele vai falar paralelepípedo, inconstitucionalissimamente, oftalmotorrinolaringologista, o dicionário inteiro menos “mãe”, “mamãe”.

Sério, essa é a minha maior frustração.

Muito antes de ficar grávida, já sonhava com o dia em que seria chamada de mãe, mamãe pelo meu filho (a)… Engravidei, ele nasceu, engatinhou, já anda por aí, mudou para o berçário II, mas o dia de falar mamãe ainda não chegou.

No dia das mães do ano passado, eu tava crente que este ano ele estaria já pronunciando essa palavra com todas as letrinhas, ou pelo menos um “mamamamamama” #SóQueNão

Ele já fala algumas silabas, algumas mini-palavras, é capaz de cantarolar algumas musicas usando algumas sílabas, mas nada com que comece com a letrinha “m”…  para minha frustração.

Poxa, cuido com maior carinho, com a maior dedicação do mundo, uma dedicação que eu nunca achei que fosse ter por alguém e a única coisa que queria de presente/retorno é ouvir essa palavrinha de poucas letras pronunciadas por ele. Posso estar de mimimi, sendo boba, infantil, ou qualquer outra coisa parecida… mas no momento tô #chatiada

Share:

Entrevista no portal “Lado M”

Gestação By 17 de abril de 2014 Tags: , , 1 Comment

Semana passada só se falou da violência vivida pela Adelir e seu marido. Os dois foram arrancados a força de casa, quando Adelir estava em trabalho de parto e foram levados a força para o hospital aonde foi realizada uma cesárea sem o consentimento da gestante.

O portal “Lado M” chegou até o meu blog através de pesquisas e me convidou para contar sobre a minha experiência de parto. A matéria ficou bem completa e contou a participação de profissionais e com a experiência de outras mães.

Trecho da minha entrevista:
“Ela, que nasceu de parto normal, diz sempre ter escutado a mãe falando sobre os benefícios dessa escolha, e, por isso, desde pequena considerava esta forma para parir. “Quando engravidei, já tinha um ginecologista que me acompanhava, mas, ao conversar sobre detalhes do parto, não senti firmeza em seu discurso. Diante disso, comecei a procurar outro médico, que atendesse as minhas expectativas e estivesse alinhado com o que eu pensava/acreditava”, diz. Até que chegou a uma obstetra reconhecida por realizar partos humanizados no Rio de Janeiro (onde mora), informou-se sobre o assunto e se interessou.  

Ela comenta que, até então, seu marido era dos que acreditavam na cesárea como um procedimento mais seguro. “No entanto, como o corpo é meu, ele sempre dizia que me apoiaria em qualquer decisão que eu tomasse”. Conforme a gestação foi avançando, o casal foi se informando, lendo a respeito sobre o assunto, “e antes mesmo da metade da gestação, já tinha ganho um defensor do parto normal”.

Para conferir o texto na íntegra:  http://www.lado-m.com/o-parto-no-brasil-temos-uma-cultura-de-cesarea-no-pais/

Depois de ler a matéria e compartilhar, voltem aqui no blog para comentar e dar a opinião 😉

Share: