Logo depois que descobri a gravidez, encontrei com uma amiga que tinha acabado de fazer enxoval do baby. Ela me passou sua lista de compras e me deu uma aula sobre carrinhos. Confesso que me assustei, pensei que era só ir na loja e comprar o mais bonitinho ha-ha Doce ilusão.

Comprar um carrinho é quase igual a comprar uma casa própria ou um automóvel (momento drama queen, me deixa ta?). Bem, devida as proporções financeiras de cada um, descobri que para escolher um carrinho você deve pensar no seu estilo de vida. Pretende andar muito a pé? sozinha? acompanhada? a rua é asfaltada? ou é de paralelepipido? ele precisa caber na mala do seu carro? o bebê vai dormir no seu quarto nos primeiros meses? entre diversas outras perguntas. Depois de ficar confusa com todas essas perguntas e pedir dicas para outra meia-duzia de amigas que já possuem experiência no assunto, estou começando a chegar numa conclusão do que quero!

Wishlist:
– Não quero moisés, no meu caso não será necessário;
– Mas quero que o carrinho recline bastante, assim o baby pode usar desde RN;
– Que o carrinho seja switch! Que bebê conforto saia do carro e encaixe direto no chassi do carrinho. Exemplo, baby está dormindo e você chegou no seu local de destino. Ao invés de tirar o baby do bebê conforto, você acopla ele no carrinho e pronto. Esses modelos switch permitem acoplar o bebê conforto sem precisar da cadeira do carrinho, evitando ficar aquele trambolhão;
– Que ele mude a posição do assento. Exemplo, o baby pode ficar olhando para você ou para o mundo;
– Alça única, dizem que é melhor para conduzir;
– Cor (em ordem de preferência): vermelho, cinza, azul marinho, jeans e preto. Não quero rosinha, lilás ou marrom! Aliás, eu odeio marrom! Marrom só na maquiagem, no côncavo de preferência! rs

Já tenho um modelo queridinho: Peg Perego Pliko Switch Four. Ele é switch, tem nas cores que eu quero, o preço não é dos mais caros, seu único defeito: a alça não é única. Será que isso é fundamental?

Share: