Browsing Tag

Alimentação

Participação no momento maternidade

Amamentação, Bebê | Criança By 29 de janeiro de 2014 Tags: , 11 Comments

Contei aqui sobre a nossa (minha e do Biel) no programa Momento Maternidade do Canal GNT. Na verdade, não é um programa. Eles chamam de inter-programa, pois acontece no intervalo da programação. O tempo é curtinho, tem cerca de 55s, falo bem rapidinho sobre a nossa experiência na transição do leite materno para os alimentos. Já falei sobre isso no blog em alguns posts (nesse e neste outro). Enfim, chega de lenga, lenga e vamos direto ao vídeo! Espero que gostem =D

E aí? O que acharam?

Share:

Momento Maternidade

Amamentação, Bebê | Criança By 7 de janeiro de 2014 Tags: , 8 Comments

MM_GNT_maisjuAmanhã Biel e eu estreiaremos na telinha! No final do ano passado gravamos uma entrevista curtinha, menos de um minuto para o programa Momento Maternidade que passa no Canal GNT. Na verdade, nem chega ser um programa, são pílulas que passam ao longo da programação, durante o intervalo entre um programa e outro.

O tema foi introdução alimentar – do leite para comida, contei um pouco sobre a nossa experiência, os meus medos, a minha dificuldade. Fato é que falei muito melhor para a produtora do programa pelo telefone, na hora travei e esqueci de falar um monte, monte de coisas. Falei sobre a introdução alimentar do Biel aqui e aqui.

Como não assisti a gravação depois, não sei se o que falei faz sentido (hahah) ou se falei alguma asneira (espero que não!!!) a verdade é que provavelmente vocês (pelo menos alguém) verão antes de mim! Já que a primeira vez que vai passar, estarei no trabalho! heheh

Se alguém assistir, vem aqui me contar? Bem, é isso! Ansiosinha para ver o resultado! Para ajudar, seguem os horários das próximas semanas:

  • 08/01 às 11:59
  • 09/01 às 08:29
  • 10/01 às 18:59
  • 11/01 às 21:59
  • 12/01  às 23:29
  • 13/01 às 09:59
  • 14/01 às 08:59
Share:

Continuação da introdução alimentar

Amamentação, Bebê | Criança By 28 de novembro de 2013 Tags: , 15 Comments

biel_papando

A introdução começou aos seis meses como contei aqui. No primeiro post contei como foi a primeira semana de alimentação dele em casa e na creche. Sorte que Biel é bom de garfo, de modo geral aceitou bem as papinhas salgadas e doces.

Depois da primeira semana, fiz algumas mudanças no cardápio da creche que continuaram até o início do sétimo mês – veja abaixo:

Para a creche (6 meses):
– Colação (8:30): suco de laranja lima
– Almoço (11:00): papinha salgada com dois legumes (batata inglesa, baroa, doce, cenoura, chuchu, beterraba, abóbora)
– Sobremesa: nenhuma
– Lanche (14:00): fruta amassadinha (mamão, banana, maçã ou pêra)
– Jantar (16:30): leite materno

Em casa:
– Livre demanda de leite materno e papinhas salgadas e frutas amassadas no final de semana.

Confesso que em casa foi difícil seguir os horários da creche. Muitas vezes, eu dei só o peito ou no máximo uma fruta. Na minha cabeça foi difícil digerir a IA. Inconscientemente eu achei que a IA fosse diminuir o meu  vínculo com o Biel, eu não estava preparada emocionalmente para isso. Curto muito nosso momento… Não quero o desmame e por isso fiquei com medo. Para muitas mães, a primeira separação é o nascimento do filho. Eu não considero desta forma, para mim o nascimento foi a felicidade plena, a realização. Na minha concepção, a primeira “separação” foi a entrada dele na creche e a segunda foi a introdução alimentar.

Com a chegada do sétimo mês, liberei a introdução de carne e frango na alimentação dele. Liberei também sobremesa depois do almoço e aumentei a variedade de sucos para ele beber na colação. A grande diferença foi a introdução de papinha na janta da creche, com isso eu parei de mandar leite materno (LM).

Com isso, não tinha necessidade de ficar tirando leite todos os dias no trabalho. Até cheguei a fazer por alguns dias depois dos sete meses, mas vou te confessar que é um trambolho a mais para carregar todo dia (bomba elétrica, pote para armazenar o leite, bolsa térmica), sem contar que eu tinha que parar pelo quartenta minutos no total para tirar o leite no trabalho e em casa era uma rodada a mais de esterilização. E vou dizer que no final do dia, era mais uma coisa para me cansar. Até cheguei fazer um mini-estoque de leite congelado, mas parei porque porque não vi necessidade.

Para a creche (7 meses):
– Colação (8:30): sucos diversos
– Almoço (11:00): papinha salgada (com legumes, túberculos e raízes, grãos, verduras e um tipo de carne)
– Sobremesa: apenas fruta
– Lanche (14:00): fruta amassadinha misturada ou não com cereais (naturais, tipo aveia)
– Jantar (16:30): papinha salgada

Em casa:
– Livre demanda de leite materno e papinhas salgadas e frutas amassadas no final de semana.

Nos finais de semana segui no mesmo esquema de antes, sem conseguir criar um ritmo bacana para a alimentação dele. Pode parecer besteira, mas diminuir a amamentação doeu, me deixou insegura. Foi necessário quebrar algumas barreiras, mas aos poucos fui vencendo e consegui colocar um ritmo de dar pelo menos uma papinha salgada e uma frutinha amassada.

O oitavo mês chegou, o pediatra liberou a introdução de ovo e peixe na alimentação. De um tempo para cá, percebi que Biel estava acordando muito para mamar a noite (mais ou menos a cada 1h30). Perguntei se era necessário oferecer algum alimento para ele (além do LM) antes dele dormir, já que a janta na creche é às 16h30. O pediatra respondeu de forma positiva e desde então tenho dado um lanchezinho antes de dormir (uma fruta ou metade da porção do almoço de papinha salgada). Claro, que tem dias que a noite é caótica, mas de modo geral Biel está dormindo muuuuuuuito melhor. Muito mesmo! Tem acordado em média duas vezes por noite. Afinal, o gasto calórico dele aumentou, né? Engatinha o dia inteiro!

Nosso único problema tem sido a introdução de líquidos. Mesmo na creche, nem sempre ele aceita bem os sucos e comigo é a tendência sempre é rejeitar. Água de côco ele aceitou bem, água bebe só um pouquinho, principalmente quando me vê bebendo. Acaba que ele sempre prefere o peito. Uma coisa que tenho feito, é misturar um pouquinho de água filtrada ou água de côco nas papinhas doces, para ajudar na hidratação, principalmente nos dias mais quentes!

Finalmente, de duas semanas para cá consegui imprimir um ritmo bacana no final de semana de almoço, lanche e janta. Parei de me cobrar tanto e me permiti comprar papinhas salgadas prontas para ajudar nos dias de tempo curto.

Não posso reclamar, porque Biel come bem! Faz cara feia na primeira colherada, mas depois abre a boca pedindo mais, é muito engraçado. A única coisa que estou com dificuldades para introduzir é maçã, ele não gosta e da última vez vomitou tudo. Este final de semana vou tentar uma receita diferente de papinha de maçã. E vou oferecer peixinho pela primeira vez ♥

Share:

Introdução alimentar

Amamentação, Bebê | Criança By 23 de setembro de 2013 Tags: 13 Comments

Com cinco meses e meio, ele começou na creche, eu voltei para o trabalho. Nossa primeira separação. Entre mortos e feridos, nos salvamos todos. Ele fica bem lá, gosta das tias, dos brinquedos diferentes, dos amiguinhos. Apenas uma vez, ele chorou desesperado para vir para o meu colo na hora da saída, me deu um aperto no coração. Ele chorou e eu quase chorei.

Dezoito de setembro chegou e ele fez seis meses. No dia seguinte fomos no pediatra para a consulta do sexto mês e pegar as indicações sobre introdução alimentar (I.A.). Tinha combinado na creche, que a IA só começaria hoje (23/9), pois eu seria a primeira pessoa a dar papinha de fruta, salgada, suco e tudo mais.

Óbvio que antes de chegar no pediatra já tinha feito a lição de casa, já tinha entrado em grupo no facebook, lido um monte de blogs, artigos, etc. Vi que existem zilhões de teorias e que ao invés de me sentir segura com uma, fiquei ainda mais confusa com todas as possibilidades. Tem gente que começa pelas frutas e fica assim por um tempo, tem gente que começa fruta   e papinha salgada com apenas dois legumes, tem gente que recrimina suco e por aí vai.

Primeiro passo foi pedir o cardápio da creche e surtar com ele. Como o berçário I tem crianças de quatro meses até um ano e pouquinho, o cardápio já era daqueles “completões”, cheio de coisas e para todos os gostos. Eu, mãe de primeira viagem, surtei e achei que Biel tinha que entrar naquele ritmo, já tinha separado um monte de artigos para imprimir e levar para creche e tal, para conversar/ mostrar que um bebê não poderia comer aquilo que eles estavam propondo.

Até que resolvi perguntar, né? Somos “gente fina, elegante e sincera” e descobri que eu tinha que passar as instruções do pediatra sobre a I.A. e que eles seguiriam a risca! Ufa! Sai sexta da creche em direção ao hortifrúti comprar um monte de frutinhas, legumes para o final de semana de experiências gastronômicas.

Resolvi começar pelas frutas. Cheguei em casa animada do hortifrúti e resolvi dar mamão para ele experimentar. Comeu algumas colheres, alternou caretas e sorrisos, mas comeu com curiosidade. No dia seguinte (sábado), ofereci o suco de laranja lima e ele bebeu quase 50ml. Depois ofereci uns golinhos de água de côco e ele aceitou bem. Aí chegou a hora da papinha salgada e eu surtei.

Simplesmente não sabia o que fazer. Não tinha conseguido decidir por uma única receita, não tinha decido que linha seguir. Resolvi oferecer o mamão de novo no lugar da papinha salgada e o resto do dia seria peito.

Na minha cabeça até domingo as coisas iriam se esclarecer na minha cabeça, mas não. Continuava perdida, insegura. Comecei a achar que deveria ter introduzido alimentos antes dos seis meses, para ter tido a calma para dar a primeira semana só de frutas isoladas, depois fazer papinhas doces, só depois oferecer as salgadas. Culpei meu trabalho por não me permitir ter ficado os sete meses com meu filho e fazer essa transição de modo tranquilo, já que os seis meses de aleitamento exclusivo (para mim) é/ foi muito importante. Enfim, sofri mesmo e me culpei de todas as formas que é possível para uma mãe (gente, mãe sofre!).

De certa forma, essa é a nossa “segunda separação”. Até então eu fui a única fonte de alimento do Biel. O meu leite é/ foi alimento, amor.  Pode parecer besteira, mas isso mexeu comigo…

… Até que… resolvi relaxar. Parar de me cobrar desta forma e fazer o meu melhor. Na hora do almoço dele ofereci bananinha amassada (ele comeu praticamente tudo! amou banana! e sim, fui eu quem dei! quem me conhece sabe que passo mal só de sentir o cheiro da fruta… mas amor de mãe é realmente uma coisa). Depois disso, ele ainda mamou no meu peito e dormiu. E eu dormi junto com ele, abraçadinho. E assim dormimos por umas três ou quatro horas em pleno domingo a tarde.

Acordamos, marido ficou com ele e eu resolvi fazer a papinha salgada. Fiz cenoura e batatinha no vapor, coloquei menos de uma pitada de sal, amassei com o garfo e ofereci. Ele comeu algumas muitas colheradas (não contei), mas comeu menos que a banana. Afinal, o leite materno é docinho, né? foi a primeira vez que ele comeu sal.

A noite chegou a vez de escrever na agenda, todas as instruções para a creche seguir nesta primeira semana de I.A. Fiz um mix entre as instruções do pediatra e o meu feeling de mãe de primeira viagem que acredita estar fazendo o melhor para o seu filho.

Para a creche:
– Colação: suco de laranja lima
– Almoço: papinha salgada com dois legumes (batata inglesa, baroa, doce, cenoura, chuchu, beterraba, abóbora)
– Sobremesa: nenhuma
– Lanche: fruta amassadinha (mamão, banana, maçã ou pêra)
– Jantar: leite materno

Em casa (durante a semana):
– Livre demanda de leite materno

* Final de semana vou seguir os horários da creche para criar uma rotina para ele.

Passei o dia ansiosa, tensa de como seria aceitação do Biel. Enviei leite a mais, caso ele não aceitasse as comidinhas. Pensei em ligar para a creche, mas me segurei e pensei: “se der algum problema, eles vão te ligar”. E deu!

Cheguei lá, a tia foi só elogios para o Biel. Disse que ele comeu muito bem, mas que ainda estranha a água. E que quando chegou a hora do jantar, devorou o leitinho da mamãe aqui! Muito amor! E assim, vamos seguindo! Semana que vem volto para contar nossos avanços (:

Share:

Curso de gestantes – dia cinco

Bebê | Criança, Gestação By 10 de dezembro de 2012 Tags: , , 1 Comment

Antes que vire lenda, vou terminar de contar do Curso de gestantes, né? Ah, vale ressaltar que não sou médica, sou apenas curiosa sobre assunto e estou repassando a minha visão sobre o que aprendi (:

Curso de gestantes – dia um
Curso de gestantes – dia dois
Curso de gestantes – dia três
Curso de gestantes – dia quatro

– Alimentação da criança no primeiro ano de vida

A nutricionista recomendou o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida. Após esse tempo, os bebês atingem um estágio de desenvolvimento neurológico e motor que permite receber outros alimentos. Além da necessidade crescente de ingestão de mais calorias e nutrientes.

A partir dos seis meses é importante ter pelo menos um dos grupos presentes nas refeições: energia (tubérculos/cereais), proteína (ferro e zinco: carnes/ovos/leguminosas) e vitaminas e minerais (frutas/hortaliças).

Legumes: cenoura, beterraba, abobrinha, abóbora, chuchu, brócolis, couve-flor, berinjela.
Tubérculos: batata inglesa, batata doce, mandioquinha, inhame.
Carnes: músculo ou coxão mole, frango.
Frutas: maçã, banana, pêra, mamão, laranja lima, ameixa preta, melão, pêssego, manga, goiaba, melancia, caju.
Temperos: sal, cebola, alho, azeite – salsinha e cebolinha a partir de 8 meses.
Folhas: agrião, bertalha, espinafre, couve.

A nutricionista alertou para a inserção de uma fruta por vez, assim a criança se acostuma com o sabor da fruta por si só e você, mãe, consegue ver se a criança tem algum tipo de alergia ou tem alguma reação por conta da fruta.

Esse mesmo tipo de raciocínio vale para os alimentos na papinha. Introduzir um alimento novo por dia, de forma que no final de uma semana ele/ela já tenha experimentada um de cada grupo: 1º dia um tubérculo, 2º dia um legume, 3º dia caldo de carne,  4º dia caldo de cozimento folhoso, 5º dia uma mistura de todos os alimentos desta semana, 6º dia substituição do alimento equivalente por um outro do mesmo grupo.

Preparo das papinhas:
* A consistência deve ser pastosa, para isso usar uma peneira grossa – não usar o liquidificador
* Usar colher de silicone, copo e prato no lugar da mamadeira
* Não aquecer os utensílios junto com os alimentos
* Utilizar para cozinhar os alimentos panelas de inox ou vidro
* Oferecer água entre as refeições
* Após nove meses os alimentos devem ser apenas amassados com o gargo, inclusive o feijão
* Aliás, o feijão branco é o que possui maior capacidade para absorver o ferro e o cálcio
* A partir de 1ano e 2meses, os alimentos devem ser picados, desfiados ou cortados em pedaços pequenos
* Peixes, abacate, uva sem semente e mel a partir de um ano
* Se a criança recusar algum desses alimentos, não deve obrigar a comer. Oferecer em outros horários
* Cozinhar os alimentos em pouca água, já as frutas devem ser oferecidas logo após ser descascada
* Evitar o uso de alimentos industrializados (temperos prontos) e açúcar refinado
* É recomendável que o leite de vaca e derivados (iogurtes e queijos) não seja oferecido antes de 1 ano

– Dicas de como escolher uma creche
Essa foi uma das palestras mais importantes no meu ponto de vista, a pedagoga falou de uma série de itens que eu nem fazia ideia!

O berçário deve ter por lei 5 tipos diferentes de espaços:
* sala de estimulação
* sala dos berços (um por criança)
* banheiro adequado
* lactário (que é a cozinha do berçário) / refeitório (para crianças a partir dos 7meses)
* solário

Perguntas/ Pontos de atenção para se fazer na creche:
A creche é legalizada? Possui segurança nos espaços?
Possui equipe técnica especializada?
Os educadores possuem formação acadêmica?
Qual é o número de “tias” por criança? (ideal é três ou quatro por “tia”)
A cozinha e a dispensa são abertas a visitação?
As salas possuem janelas amplas?
Vocês seguem as orientações do pediatra em relação a alimentação?
Como é feita a esterilização dos itens?
Os bebês fazem quantas refeições por dia?
Se eu mandar o meu leite, vocês oferecem para meu filho (a)?
Como é feita adaptação dele (a) na creche? uma semana? 15 dias?
De quanto em quanto tempo os brinquedos são esterilizados? 
Como é o projeto pedagógico (sócio interacionista ou construtivista, entre outros)?
Como é trabalhado a psicomotricidade dos bebês?
Como eu me comunico com a educadora? ela vai relatar como foi o dia do meu filho (a)?
Como é feito nos casos de emergência médica?

Se as mamães experientes quiserem compartilhar mais dicas e perguntas, fiquem à vontade =)

Share:

Curso de gestantes – dia quatro

Gestação By 21 de novembro de 2012 Tags: , , , 5 Comments

Curso de gestantes – dia um
Curso de gestantes – dia dois
Curso de gestantes – dia três

Ah, vale ressaltar que não sou médica, sou apenas curiosa sobre assunto e estou repassando a minha visão sobre o que aprendi (:

– Shantala
O quarto dia começou com uma das aulas mais esperadas: de shantala (massagem para bebês). Não vou me atrever a ensinar a massagem, porque é uma coisa séria. Peço que quem tiver interesse procure um profissional para ensinar, vou comentar aqui sobre os benefícios da massagem.

  • A massagem deve começar a ser feita todos os dias a partir do 1º mês de vida,
  • Utilizar óleo 100% vegetal
  • Evitar fazer massagem após amamentação. Se for o único momento possível, fazer após 30 minutos (se for leite materno) e se for mamadeira esperar 1h30 minutos,
  • O bebê deve estar peladinho,
  • Não aplicar massagem no sol ou em lugares frios,
  • Tirar anéis ou pulseiras que possam machucar,
  • Fortalece o elo de amor e contato entre os pais e o bebê,
  • Facilita a adaptação do bebê ao mundo, passando uma sensação de segurança e bem estar,
  • Auxilia no desenvolvimento muscular e psicomotor,

– Necessidades nutricionais na gestação
A nutricionista falou sobre a importância das seis refeições diárias (desjejum, colação, almoço, lanche, jantar e ceia). A palestra foi enooorme, vou fazer um mega resumo por tópicos!

Proteínas (por dia): 4 porções de lácteos desnatados + 2 porções de carnes magras + 2 porções de leguminosas
Carboidratos (por dia): 2 porções de arroz + 2 porções de pão
Lipídios (por dia): consumo de 4 a 6 porções

Vitaminas:
A – Ajuda na visão, no desenvolvimento dos tecidos fetais, manutenção da placenta. Fonte: fígado (ecat! rs), leite, couve, agrião, cenoura, manga.
C – Ajuda na prevenção do parto prematuro, da pré-eclâmpsia. Fonte: acerola, goiaba, laranja, couve, bertalha.
Folato – Ajuda na prevenção da anemia, defeitos congênitos, retardo no crescimento intra-uterino. Fonte: fígado (ecat de novo!) espinafre, suco de laranja, brócolis, feijão branco, repolho.
E – Ajuda na prevenção de abordo. Fonte: óleos vegetais, abacate, leite, ovos, germe de trigo.

Minerais:
Cálcio – Crescimento e desenvolvimento da musculatura e esqueleto fetais, prevenção de hipertensão gestacional. Fontes: leites e derivados, peixes (sardinhas), brócolis, couve.
Ferro – Prevenção da anemia, prematuridade e baixo peso. Fontes: carnes vermelhas e branca, vegetais verde-escuro, feijão, grão de bico.
Zinco – malformações congênitas, abortos, crescimento e desenvolvimento fetal. Fontes: carne, leite e derivados, cereais integrais e leguminosas.

Não é recomendado o uso de qualquer tipo de chá no 1º trimestre de gestação, eu não sabia disso e tomei alguns! Só evitei o chá de canela, porque dizem ser abortivo.
Chás considerados seguros: folhas de framboesa, hortelã e erva-cidreira.
Chás desaconselhados: chá verde, sene, canela, eucalipto, anis estrelado, poejo, boldo do chile, boldo nacional (falso boldo), sálvia, assa-peixe.

Receitas de sucos para as mamães:
SUCO DURMA BEM
1 copo de água mineral
1 talo de aipo
1 cenoura
1 xícara de chá de salsa

SUCO CONTRA ENJÔOS
1 copo de água mineral
1/2 beterraba com folhas
1 xícara de chá de erva doce
1 maçã

SUCO PARA O INTESTINO
1 copo de água mineral
4 rodelas de abacaxi
1/2 xícara de chá de passas sem caroço
10 unidades de uva sem o caroço

SUCO BEM-ESTAR
1 copo de água mineral
1 xícara de chá de camomila
1/2 melão médio

Não tomei nenhum deles! Sou fresca e não gosto muito dessas misturebas, mas #ficadica rss

Share: