Browsing Tag

Cuidados/saúde

O tal pico de crescimento…

Gestação By 30 de julho de 2013 Tags: , 50 Comments

Já tinha ouvido falar da crise dos três meses, este mês chegou e nenhuma mudança aparente. Pelo contrário, estávamos evoluindo em diversos sentidos, sem regressões. Até que numa semana ele acordou de noite de duas em duas horas para mamar (coisa que nem quando era RN ele fazia), na outra semana ele começou a dar ataque e só parava quando eu pegava no colo. Outra vez, ele começou a brigar contra o sono durante o dia e só passou a dormir agarrado comigo, se eu me afasto, ele chora. E agora, já tem umas duas semanas, ele acorda de duas a quatro vezes por noite para mamar, quando não decide que quer brincar de noite. Ah, tem também às vezes que dou o peito, coloco para arrotar, ele apaga, mas quando vou colocar na cama ele acorda de novo e por aí vai….

Enfim, poderia ficar aqui citando diversos exemplos com n combinações e ao longo dessas semanas bolei subterfúgios (travesseiro, aplicativos de celular com sons, música clássica, secador de cabelo, etc.) para driblar as situações.  Fato é a tal crise do terceiro mês não chegou nesta data e eu tinha até esquecido de sua existência. Até que esses eventos de cima começaram a surgir e eu fiquei encucada, achei que ele tivesse regredido, que fosse birra da parte dele em certas situações. Conversando com uma amiga, ela me falou do tal pico de crescimento versus salto de desenvolvimento e me apresentou um texto explicativo – que publiquei também no post do 4º mês.

Li e me identifiquei em cada linha. De acordo com o texto, Biel começou há um mês a tal crise dos 4 meses e meio e essa é uma das crises mais demoradas para passar. Pode demorar de quatro a seis semanas. Se contar que já estamos umas três semanas nesse ritmo, to aqui na torcida para que esteja realmente na metade. Até porque me preocupa de certa forma… quando ele começar na creche, por exemplo, como ele vai fazer para dormir durante o dia sem a minha presença, sem o meu corpo?

Apesar de que, com o início da creche, acho que vai rolar uma piora nesse quadro de carência, estou preparada para acordar mais de noite e me adaptar a uma nova rotina.

Nessas fases os bebês ficam mais carentes. Comem e dormem pior. No período que antecede os saltos o bebê se sente perdido no mundo pois seu sistema perceptivo e cognitivo mudou, mas ele ainda não se acostumou, então o mundo lhe parece estranho. Desta forma, ele recorre a mãe, que é sua base, seu ponto de referência. Depois de algumas semanas tudo passa e as coisas voltam como eram antes. Após uma crise o bebê ‘passa a fazer coisas que não fazia antes, ou seja, dá um salto de desenvolvimento. 

Uma das coisas que esse texto fala é sobre a qualidade do tempo passado com o bebê ou com a criança. Olhar nos olhos, falar diretamente com ela, dar carinho, conversar no tempo em que estiverem juntas. Mesmo que isso signifique poucas horas por dia. O importante é ela saber que você é o seu porto-seguro, o aconchego.

Enfim, ainda é tudo muito novo para mim e confesso que às vezes me sinto perdida no meio desse furacão chamado pico de crescimento. O que tenho tentado fazer é estar descansada para ter paciência (privação de sono pode estressar), dar toda atenção, carinho para fazer com que essa fase passe sem grandes traumas, enquanto isso vou usando as armas que estão ao meu alcance (:

———————-

Tabela com os saltos de desenvolvimento e picos de crescimento do seu baby. Para receber, basta enviar um e-mail.

Share:

Educar para a independência

Bebê | Criança By 29 de julho de 2013 Tags: 5 Comments

Dou colo mesmo, amor, carinho, meu peito e tudo mais que ele precisar! Ao invés de criar uma pessoa independente estou assim ajudando a criar uma pessoa segura, que conhecendo o amor em sua forma mais pura vai saber amar o seu próximo. Para mim, isso é educar ❤

“Eu não educo meu filho pra independência e sim para a autonomia, porque um ser humano nunca será independente. Somos todos seres sociais que precisam uns dos outros para viver. Quem vem me dizer que devo dar menos colo para o meu bebê, quem sugere que eu o deixe em um carrinho em nome de uma liberdade que eu não desejo, quem diz que cama compartilhada é perigoso, quem diz que choro é birrinha manipuladora, quem se incomoda com o excesso de amor que dou pra ele, enfim, tem uma compreensão das necessidades de um bebê bem diferente da minha.

A minha compreensão (respaldada por evidências científicas e pela minha intuição) é a de que bebês precisam ser atendidos em suas necessidades de contato (pele, colo e peito) para que se sintam seguros e para que, assim, comecem a desenvolver a autonomia. Não sou eu que tenho que forçar esse aprendizado, a autonomia é uma característica inerente ao ser humano e a minha plena confiança nisso faz com que eu sinta prazer em ter a minha liberdade temporariamente limitada em prol do desenvolvimento da liberdade dele. Gradualmente ele se desenvolve. Eu confio na potência do meu filho. Confiança faz parte do amor. Amor é o oposto do medo. A minha liberdade, hoje, está em amar meu filho e faço isso por meio do corpo. Eu o amo com a pele, com o colo, com o seio.

Quando ele aprender a ouvir e a falar, quando ele aprender a me amar e a se relacionar com o mundo por meio das palavras, a necessidade da pele, do colo e do peito vai diminuir. Até que o seu vocabulário aumente e meu peito não seja mais necessário. Porque essa é a função do seio: nutrir e acalmar. Até que ele fique fluente na língua portuguesa e saiba verbalizar suas frustrações e inseguranças e não precise gritar e chorar e vir pro meu colo porque sabe que um diálogo resolve seu problema mais rapidamente. Até que ele não caiba mais dentro do meu colo. E mesmo depois de aprender a escrever, ele sempre terá as minhas mãos para um cafuné nos momentos em que palavra nenhuma funcionar.

Eu não o educo para a independência e sim para que ele seja uma pessoa confiante em sua própria capacidade de lidar com tudo o que acontecer com ele, inclusive com as frustrações. Isso é autonomia. Eu o educo para que ele saiba confiar em si mesmo. Para isso, ele precisa de alguém que confie nele antes. Eu confio no meu filho, acredito que seu choro é um chamado que merece ser ouvido, não birrinha. E sei o que ele quer quando me chama: colo, pele, peito. Eu o educo para que a partir de sua autoconfiança, ele tome decisões que tragam consequências positivas para sua vida e para o coletivo. Eu o educo para que ele também aprenda a confiar nas pessoas do mesmo jeito que quero que ele confie em mim. Eu o educo para que ele tenha uma referência cristalina de amor. Eu o educo para que ele entenda que eu não sou perfeita, que tenho direito ao erro tanto quanto ele, mas que eu busco desenvolver cada vez mais a minha capacidade de acertar, porque sempre é possível ser uma pessoa mais consciente. Não para ser independente.

A independência é a ilusão do século XX. Eu educo o meu filho para o século XXI. Para o hoje. E para o amor que é o que une todos nós apesar das diferenças. O amor infinito e atemporal.”

(texto retirado do blog MILF)

Share:

rotina: banho

Bebê | Criança By 27 de maio de 2013 Tags: , , 13 Comments
Banho bebê na pia

Nossa rotina de banho

Como a foto que a Aline fez do banho do Biel suscitou tantas dúvidas, perguntas, resolvi fazer um post para explicar heheh Sim, na foto Biel estava tomando banho na pia! E foi assim o momento banho nos primeiros dois meses de vida dele.

O primeiro banho do Biel na vida, fui eu que dei. Foi aqui em casa na banheira que a avó paterna deu de presente, mas ele não curtiu. Chorou horrores. Achei que tivesse sido o meu mau jeito, tentei novamente no dia seguinte e a mesma coisa.

Até que ele fez um mega côco, daqueles que suja tudo, e eu achei que seria muito difícil limpar tudo com algodãozinho molhado com água. Esquentei a água da pia e lavei o bumbumzinho dele na pia e curiosamente ele amou aquele momento. No dia seguinte, que seria o terceiro banho do Biel, ao invés de tentar a banheira, tentei a pia. E ele AMOU!

Tipo, AMOUMUITO.COM.BR. Tanto que quando ele estava com cólica, eu colocava ele no banho na pia, e ele ficava quietinho, olhando. Se ele estava chorando há muito tempo por qualquer outro motivo, colocava lá ele se acalmava… E por aí vai. Chegou um dia que ele dormiu no banho, acreditam? fofo demais da conta!

E confesso que dar banho na pia é muito pratico! Basta ter aquela tampinha e a mini-banheira fica pronta rapidinho. Tem sabão/ shampoo demais na água? é só esvaziar e encher de novo em menos de dois minutos. Ele soltou um punzinho (sim, isso acontece), basta esvaziar e encher novamente!

Agora ele já ta grande para a pia, ainda cabe… mas desde o dia das mães ele está tomando banho no ofurô!
biel_banho2

Share:

Semana caótica

Bebê | Criança By 15 de abril de 2013 Tags: , 10 Comments

Daí que a semana passada começou caótica! Marido a princípio ficando resfriado, que evoluiu logo para febre alta e suspeita de dengue ou virose (porque enquanto o resultado não sai, pode ser qualquer coisa). Logo aqui em casa que eu sempre me gabei por não ter mosquito… Enfim, enquanto não tínhamos certeza do resultado o lance foi isolar o marido do filhote. Com isso passei a semana sobrecarregada cuidando dos dois, pelo menos da casa tenho uma pessoa para me ajudar.

Na terça a noite fiquei preocupada, Biel apareceu quentinho, molinho e com chorinho rouco. Fiquei monitorando a temperatura por umas duas horas, ele estava febril. Por volta das nove e pouco da noite a temperatura subiu para 37.4, ainda febril eu sei, mas diante do fato de ser mãe de primeira viagem e o marido estar com suspeita de dengue/virose me deixou preocupada. Liguei pela primeira vez para o pediatra, que me sugeriu deixar ele com pouca roupa, oferecer o seio a vontade e ferver água filtrada e oferecer em mamadeira para ele,  deixá-lo com pouca roupa – tudo por uma hora. E foi o que eu fiz, menos oferecer água… achei estranho. Ofereci só o meu peito.

Depois de uma hora, a temperatura dele não baixou, foi para 37.4, liguei para o pediatra que me aconselhou ir para uma emergência pediátrica. Com marido doente, liguei para o meu pai que nos levou. Chegando lá, descubro que bebês recém-nascidos com menos de um mês não são atendidos em emergências por conta do risco de contaminação e que eu deveria ter me encaminhado para maternidade que ele nasceu.

Eles não queriam nem me atender, mas uma enfermeira viu que eu estava preocupada e se ofereceu para tirar a temperatura dele que tinha baixado e estava 37.1. Ela foi conversar com a pediatra responsável pelo plantão para ela dar uma olhada no Biel, e assim ela fez. Auscultou, viu orelhinha, narizinho e resolveu ligar para o pediatra para dizer que iria nos liberar, o pediatra pediu que não liberasse e fizesse exame de urina. Óbvio que a fralda estava cheia de xixi e não conseguimos colher a urina, fiquei de colher no dia seguinte cedo e a tarde ir no consultório dele.

Segundo a enfermeira e a pediatra da emergência, Biel não deveria ter sido enviado para lá. Existem muitas coisas para serem feitas para abaixar a temperatura (que ainda não era considerada febre) antes de mandá-lo para um hospital. Além do mais não se deve enviar um RN para uma emergência de hospital por conta do risco de contaminação.

Enfim, o pediatra foi atencioso, ligou no dia seguinte de manhã para saber como estávamos, mas acabei não gostando da forma como as coisas foram conduzidas por ele, sem contar com o fato dele ter mandado dar água, até porque Biel estava urinando e fazendo coco normalmente, ou seja, ele não estava desidratado, nem passando fome. Aliás, uma coisa que me incomodava é que ele sempre duvidava da minha capacidade de alimentar meu filho com o leite materno, mas vamos deixar isso para lá.

No dia seguinte coletei a urina e fui no pediatra, ele não estava com febre e o pediatra auscultou, viu orelha, nariz e estava tudo ok. O pediatra continuou mandando eu dar água… Não dei.

Na quinta fui em um outro pediatra, que também tinha sido recomendado (também é do plano) e gostei bastante. Biel também gostou (rs) não chorou durante as verificações que o pediatra fez – no outro ele abriu o berreiro nas duas vezes. O novo pediatra também passou uma vitamina para o Biel tomar até os seis meses de idade – vitaminas que não tem no leite materno e que são importantes. Enfim, mudei de pediatra. Biel ficou bem durante o resto da semana e marido de cama! Foi complicado, mas estamos todos bem!

Share:

IFF é amor!

Amamentação, Bebê | Criança By 4 de abril de 2013 Tags: , 21 Comments

Do final de semana para cá, Biel fica tem ficado nervoso no início da noite. Não quer lagar meu seio, ao mesmo tempo fica irritado, se sacode, contorce, espreguiça, chora e acaba pegando o bico do seio e me machucando. Com muita conversa, carinho, chamego, barulho do secador e colinho ele se acalma e dorme. Aí vai bem durante a noite e só acorda uma vez para uma longa mamada (cerca de duas horas todo processo).

Segunda passada foi o auge. Cheguei a um ponto que não sabia mais o que fazer, já tinha tentado de tudo e nada funcionava, até que meu anjinho apagou no meu colo e dormiu praticamente a noite inteira, acordou apenas duas vezes para uma mamada de 20 minutos cada! Super rápido. Terça resolvi ir no Instituto Fernandes Figueira (IFF é uma maternidade pública para gravidezes de alto risco e um famoso banco de leite materno)… afinal já tinha recomendado para tantas amigas, de repente poderia me ajudar de alguma forma. Estava com medo da pega estar errada, dele estar engolindo ar durante as mamadas e por aí vai.

Para começar chego lá e sou recebida por um sonoro “Seja bem-vinda! Por aqui mamãe”. Só essa pequena expressão já fez meu olho encher de água. Pode parecer besteira, pode ser meu lado materno carente precisando de aconchego… mas são poucos os lugares que você é recebido desta forma na rede privada, ainda mais na rede pública de saúde.

Cheguei e preenchi uma ficha com meus dados e dados do meu filho. A atendente perguntou, “qual é o seu problema?” Normalmente as mulheres vão lá porque estão com dificuldade amamentar, de ter leite, ou excesso e empedramento do leite e por aí vai, mas eu não… a princípio estava com produção de leite super Ok, queria checar a pegada, ver se ele estava engolindo o ar… e outras coisinhas que estivessem causando esse desconforto no meu filho. Quando caí em si, vi que de repente seria desproposital a minha ida ao IFF, mas em nenhum momento a atendente fez pouco caso das minhas dúvidas, pelo contrário, falou que em breve eu seria atendida.

E de fato fui.. A Dra. ficou comigo por uma hora e meia no consultório, perguntou sobre o meu pré-natal, sobre o meu parto, o porque de eu estar ali e em nenhum momento fez pouco caso das minhas dúvidas de mãe de primeira viagem. Uma coisa é fato, meu filho é o meu bem mais precioso e talvez por eu ser mãe de primeira viagem surgem muitas dúvidas e inseguranças. O fato de estar ali, com uma profissional entendida no assunto, que estava demonstrando todo o interesse do mundo na minha história, me ouvindo com carinho e não me fazendo me sentir uma boba, me emocionou. Em muitos momentos eu tive vontade de chorar.

Ela avaliou e elogiou a minha produção de leite, me ensinou a ordenhar, avaliou a pegada do Biel, eu mostrei o que acontece quando ele fica nervoso e percebemos que ele na maioria das vezes pega o seio bem direitinho, mas quando está nervoso pega apenas o bico, me machuca, não saí leite, daí ele fica mais nervoso e por aí vai. Além dele gastar a energia dele nisso tudo, né? Ela me ensinou a consertar a pegada dele.

Ele foi pesado e me foi dito que que ganhou peso. Está na média, mas ele deveria ter ganho cerca de 300g ao invés de 225g, por isso ela pediu para eu voltar na quinta, dois dias depois, porque ela queria acompanhar a evolução do peso dele. Ela perguntou se ele tem feito xixi e côco, falei que sim. Expliquei a média dos últimos dias, falei de cor, consistência, etc. Ela disse que a média estava ótima, isso é sinal de que ele está sendo alimentado.

Como dever de casa, ela pediu para eu ordenhar o meu leite antes das mamadas, pois o primeiro leite que sai é mais aguado, é o que “mata” a sede do baby, somente depois é que vem o leite mais nutritivo, proteico. Pediu também que eu trouxesse, pois ela queria me ensinar a dar leite materno no copinho para o Biel.

E assim o fiz! Passei uns dez minutos ordenhando e tirei esse tiquinho de leite! heehhe Não que falte leite por essas bandas de cá, pelo contrário! Mas é difícil, a mão escorrega, ainda não acertei a forma correta da ordenha.

LM1

Hoje voltei no IFF, fui atendida pela mesma médica, que com toda paciência do mundo me explicou mais coisas, aprimorou a minha ordenha (eu tava fazendo totalmente errado! hahaha), falou para eu sempre massagear meu seio antes de oferecer para o Biel, que ajuda a soltar o leite.

Ela tentou dar leite que levei (foto acima) no copinho para o Biel, mas ele não curtiu! Aí ela mostrou a técnica de dar esse primeiro leitinho através de sonda, enquanto ele estiver mamando no meu seio! Muito legal!

Ela me mostrou também outras formas de posição para mamada! Ela me mostrou uma com ele sentadinho que é muito fofa e ele super curtiu! O que é bom porque evita dele pegar sempre na mesma posição e deixar mais sensível a região! Além dessa posição ajudar na digestão do leite.

Biel também foi pesado e ele praticamente engordou 100g nesses dois dias! Muito bom, coração da mãe aqui está mais calmo! A princípio levamos alta! A médica não marcou nenhum retorno, mas disse que a instituição está de portas abertas sempre que eu precisar. Sai de lá me sentindo mais segura de que estou no caminho certo, aprendi  muito! O que posso dizer? Eterna gratidão ao Instituto Fernandes Figueira e parabéns a todos os profissionais pelo trabalho maravilhoso que é realizado lá.

Como dica boa tem que ser compartilhada… Mamães com problemas ou dúvidas em relação ao aleitamento materno, não pensem duas vezes, corram lá! O atendimento é feito de segunda a sexta de 8:00 às 15:00. Para mais informações, clique aqui.

Share:

Primeira consulta no pediatra

Bebê | Criança By 2 de abril de 2013 Tags: , , 7 Comments

maisjupediatra1

Com quase uma semana de atraso consigo sentar para falar sobre a primeira ida ao pediatra. Não fiquei com a pediatra que fez meu parto, ela não tem o nosso plano de saúde, por isso não queria demorar muito para ir lá conhecer o médico que acompanharia meu filho. Com 9 dias de vida estávamos lá no consultório esperando para sermos atendidos.

Cabe um parênteses, nesses primeiros dias de vida levei o Biel para fazer o teste do pezinho e tomar algumas vacinas como a primeira dose da hepatite e BCG. Aliás, que sofrimento fazer o teste do pezinho, é muita maldade com os babies e com as mães! Já as vacinas ele chorou muito na hora, mas assim que veio para o meu colo parou de chorar.

O pediatra foi indicado por uma amiga e super bem recomendado, a principio gostei dele. Ele mediu o Biel, pesou, averiguou orelha, nariz, boca, olho, viu se tinha hérnias. Tudo bem com o meu pequeno =D

Durante essas medições toda Biel tava lá peladão, ele aproveitou para batizar de xixi o consultório do pediatra heheheh Eu tinha levado lenço umedecido para trocar fralda. Afinal, levar algodão e água seria complicado, né? levei a primeira bronca do pediatra, nada de lenço umedecido mesmo na rua, mas confesso que continuo levando rs

Biel nasceu com 3,475kg e saiu da maternidade com 3,3kg, no dia da consulta ele estava com 3,310kg, segundo o pediatra é a partir do décimo dia de vida que os babies começam a recuperar o peso, que ele vai levar em conta o peso dele com um mês de vida.

Ele perguntou como estava a amamentação, expliquei que com dois dias o leite tinha descido, mas que eu ainda sentia dor, porque um dos seios estava machucado, mas que estava melhorando. Perguntei se precisava fazer alguma restrição para amamentar e ele disse que não.

Perguntei sobre fezes, xixi, contei que ele andava com narizinho entupido e ele falou para pingar soro fisiológico, e mostrei que o olhinho esquerdo dele está soltando uma remelinha, ele falou também para limpar com soro fisiológico. That´s it! vamos voltar quando ele completar um mês.

Share:

Gravidez: 37ª semana

Gestação By 3 de março de 2013 Tags: , , 18 Comments
barriga de grávida

Acompanhamento semanal da gravidez: 37ª semana,

Oficialmente deixamos de ser prematuros! OBA! Biel já é considerado um baby a termo =D

Tenho me sentido muito cansada, tem sido difícil nesta última semana. Calor, inchaço (tem horas que meu pé parece pata de elefante), algumas dores musculares nas pernas e um sono fora do normal. Acabei ficando em casa segunda e terça descansando. E na quarta fui trabalhar, mas não me senti bem e voltei para casa (gastroenterite).

Tive mais um encontro com a E.O. e ela me passou uma série de exercícios para fortalecer, alongar e me conectar com meu baby. Os encontros com ela são sempre bacanas, aprendo um monte de coisas, mas engraçado que desta última vez me achei meio desengonçada, sabe? às vezes achei que meu corpo não estava reagindo aos pedidos dela. Talvez fosse o cansaço, mas ela me explicou que esta última aula foi puxada porque estamos com pouco tempo.

A verdade é que sinto que deveria ter tido mais encontros com ela. Mas teve carnaval no meio, partos e algumas outras coisinhas que impediram que a gente se encontrasse mais vezes… faz parte. Ela disse que me saí bem (rs) e pediu para eu praticar “na rua, na chuva, na fazenda, ou numa casinha de sapê” hehehhehe

Fiz exames de rotina que minha médica pediu (hemograma completo, glicose, TSH,FT4, toxoplasmose) e estou aguardando o resultado. Ainda falta fazer de urina.

Fiz a pré-inscrição no site de uma maternidade daqui do Rio.

Lavei a última leva de presentinhos que o Biel ganhou (0-3m) na mão mesmo, com sabão de côco. Comecei a pensar na mala da maternidade que tem ter roupa para mim, marido e do Biel – vou fazer um post sobre isso.

Marido viajou a trabalho (já sabem, né?) nos falamos todos os dias da viagem dele e sempre que podia colocava a ligação em viva voz e deixava o celular na altura da barriga para Biel escutar a voz do pai.

Por falar em Biel, ele tem mexido tanto. Dependendo da posição que me encontro, me sinto atrapalhando meu filho ahhahha #aloka Exemplo, quando eu deito do lado direito, sinto que estou deitando em cima do meu filho – já contei aqui que ele da com o corpinho do lado direito.

Terminei de ler (finalmente), o livro que minha obstetra me emprestou: A cientificação do amor. Gostei muito do livro, quero ver se escrevo um pouco aqui sobre ele. E comecei a ler um livro que uma amiga me deu de presente: Maternidade e o encontro com a própria sombra. A E.O. pediu para eu ler os capítulos sobre parto, lactação e paternidade. Já comecei a ler e já tenho considerações para fazer, bem bacana também.

Nesta próxima semana tem encontro com a E.O., consulta com a obstetra e tenho que tomar a vacina de coqueluche que ela pediu!! A semana será cheia! Ah, e se tudo continuar como o programado, dia 8/3 é meu último dia no trabalho antes do Biel nascer.

Share:

Gravidez: 35ª semana

Gestação By 17 de fevereiro de 2013 Tags: , , , 20 Comments
Barriga de grávida

Acompanhamento semanal da gravidez: 35ª semana.

35ª semana ou oito meses (14/2)! Às vezes é difícil de acreditar de que está chegando… Olho para trás e lembro do início de tudo… da felicidade, do medo de dar algo errado, das descobertas, … e me emociono. Acho que estou nostálgica esses dias, mas uma coisa que tenho certeza é que aproveitei cada segundo da gravidez e quero continuar assim nas próximas semanas.

Não sei se a foto passa a realidade, mas a barriga cresceu tanto nessas últimas semanas. Os vestidos e blusas que comprei ao longo da gravidez estão começando a ficar justas na barriga.

Vamos as novidades da semana!
* tivemos mais um encontro com a enfermeira obstetra e desta vez marido participou e foi beeem legal,
* o porta-treco que encomendei para ficar na prateleira em cima da cômoda chegou!
* depois de um leve stress e algumas ligações, o bombeiro veio de fato resolver o problema da infiltração,
* por conta disso, no último sábado começamos a montar o cantinho do Biel e já temos berço, cômoda e prateleira devidamente instalados ♥
* minha mãe lavou quase todas as roupas do Biel, faltam só algumas que precisam ser lavadas a mão, depois é só passar e trazer aqui para casa!

Apesar dos móveis estarem instalados, ainda não comecei a arrumar as coisinhas dele. Vou arrumar ao longo desta semana. Aliás, a casa está uma zona porque para arrumar as coisinhas dele vamos precisar nos desfazer de algumas coisas e como no quarto não cabe mais, está tudo na sala rss

Acho que por conta do estágio avançado da gravidez tenho terminado os dias bem cansada. É sono, cansaço no corpo, tudo junto e misturado. E como o calor voltou com tudo aqui para o Rio, só quero saber de sombra, ar condicionado e água fresca.

Por falar em água, tenho sentido uma sede fora do normal! E é sede de água! Biel continua mexendo bastante e promovendo momentos delícia para esta mãe daqui que fica toda boba.

Esta semana fizemos a (provável) última ultra do Biel, não pude fazer com aquela minha amiga porque ela está de férias. Meus sogros nos acompanharam! Marquei em uma maternidade daqui do Rio, a médica foi super profissional, fez todas as medições que minha obstetra pediu, mas não mostrou nenhuma imagem do perfil do meu baby. Até pensei em editar e colocar a ultra aqui como sempre faço, mas não tem muitas imagens identificáveis. Tipo, olha ali o pé, a mão. Só reconheci o coração, o rim, o estômago… É sempre bom ver o meu filho, mas sei lá, esperava mais! Ah, ela disse que ele já tem cabelo, que deu para ver na ultra o cabelo se mexendo.

Bem, o que importa mesmo é que Biel e sua casinha estão beeeem! Ele já está viradinho de cabeça para baixo, o corpinho dele está para o lado direito da barriga, o bumbum perto da minha costela direita e os pés chegam até o meu lado esquerdo – deu para entender? rs A ultra foi feita com 35ª semanas e 0 dias.

Resumão:
Batimento cardíaco: 150bpm
Peso: 2,533kg (aprox.)
Fêmur: 6,8cm
Tamanho: cerca de 47,6cm (compatível com 35ª semanas e 1 dia)
Placenta: corporal anterior, grau 1 de maturidade
Líquido amniótico normal

Share:

Encontro com a E.O.

Gestação By 14 de fevereiro de 2013 Tags: , , , 28 Comments

Hoje teve mais um encontro com a enfermeira obstetra, desta vez contamos com a participação especial do maridón! Ele estava meio tenso, sem saber o que iria encontrar pela frente, mas saímos nós três com sorriso no rosto e a certeza de que estamos no caminho certo.

A intenção da participação dele nos encontros é criar um vínculo entre nós três (já que ela estará presente num dos momentos mais importantes de nossas vidas), aumentar o vínculo entre nós dois e prepará-lo para o que pode acontecer durante um TP, que não é uma receita de bolo ou uma combinação de equações matemáticas. Afinal, o homem participa da gravidez de uma forma diferente da mulher. Mesmo ele estando super envolvido com todo processo, no momento do parto ele ocupa dois papéis: ator e expectador, pois não é ele que sente a dor, a contração e todos os outros sintomas. Então, eles precisam estar preparados para entender todo processo e não ficarem tensos/ preocupados. A primeira reação (instinto) deles é cuidar/ proteger a mulher. Deve-se tomar cuidado com essa tensão deles, pois ela pode passar para gente (Biel e eu) e nos atrapalhar.

A E.O. começou explicando para o Rodrigo sobre o primeiro estágio do trabalho de parto (pródromos), sua fisiologia, suas características, as contrações irregulares. Explicou o que é a dor da contração, que é nada mais que o corpo se preparando, se “esticando” para a passagem do baby, que primeiro vem a dilatação do colo do útero (que é o que recebe nota de 0 a 10 – praticamente apuração de escola de samba, dilatação: dez! hahah péssima a piada) e depois começa a dilatação do canal vaginal.

Aí ele levantou a questão da demora do TP, que isso pode ser agoniante para ele, ela explicou que ao contrário do que se pensa, um TP rápido demais pode ser intenso e nem sempre é o melhor. O importante é dar o tempo para o corpo agir e se abrir. Ele também levantou a questão de eu não querer anestesia, de querer de fato um parto natural. Essa parte foi bem bacana porque ela explicou fisiologicamente que a descarga de adrenalina que o corpo recebe nesta hora ajuda a anestesiar.

O parto é um momento de entrega e de renascimento. Renascimento meu, do Rodrigo, do nosso amor e o nascimento do nosso filho. Apesar de nos conhecermos, nos amarmos, nos respeitarmos, o parto é um processo revelador, no qual minha alma estará desnuda e que isso irá nos conectar de uma outra forma.

Ela perguntou se a gente conhecia o livro da Laura Gutman (A maternidade e o encontro com a própria sombra), falei que tinha ganho de uma amiga e que o Rodrigo já tinha lido o capítulo sobre a paternidade. Ela pediu para ele ler também sobre o parto. Já eu, estou atrasada com minhas leituras, ainda preciso terminar de ler o livro que minha obstetra me passou.

O papo foi ainda mais profundo e durou mais de uma hora, mas não consigo lembrar de tudo. Aproveitei e tirei outras dúvidas sobre o momento do parto e do pós-parto. Ela contou da monografia de final de pós-graduação dela sobre a importância do cordão umbilical, de não cortá-lo logo em seguida do parto, de esperar parar de pulsar. Esta parte foi ótima, porque vi que tudo que pensei/ sonhei para o meu parto, faz parte do ideal de trabalho dela e da minha obstetra.

Aprendemos algumas respirações que podem ajudar durante o TP. No próximo encontro que o Rodrigo for, ela vai mostrar um vídeo de um parto natural, que eu já vi e vai continuar explorando o tema parto. Ela passou esse exercício de respiração para a gente fazer juntos em casa.

Share:

Consulta da trigésima terceira semana

Gestação By 6 de fevereiro de 2013 Tags: , , 28 Comments

Agora as consultas terão o intervalo de 15 dias, ou seja, a próxima é na semana pós-carnaval. Desta vez me senti com uma adolescente… pela primeira vez a consulta demorou para começar e não sei porque foi me batendo uma ansiedade, tive palpitações, frio na barriga… hahah total adolescente.

Para variar conversamos bastante e é sempre muito bom. Nas últimas semanas tive algumas percepções, cheguei a algumas conclusões e estou com vontade de escrever a respeito, mas como é um texto mais profundo, não consigo escrever em dez minutos. Até comecei a conversar com a dra. sobre isso, mas não desenvolvi.

Ela me passou o último pedido de ultra (será? rs) para a trigésima quinta semana. Cheguei aos dez quilos engordados! ABAFA! Apesar de eu me condenar, minha médica disse que está ótimo. Minha pressão estava boa (12/7), batimento cardíaco do Biel direitinho e confirmou mais uma vez que ele está viradinho, na posição certa. É muito amor! ♥

Eu sempre levo uma listinha de perguntas, né? e uma delas foi sobre o espaço que Biel ocupa dentro de mim… Há uns dias senti ele chutando ou socando a minha virilha, achei que fosse viagem da minha cabeça. Mas nããããão! ele de fato se estica e chega lá! Assim, como ele chuta em cima, perto das minhas costelas. Mas o anjinho do meu filho ainda não acertou nenhuma delas. Ele adora é empurrar o meio da minha barriga (entre as costelas). Eu sou boba, babona e acho lindo!

Falei também que meus pés e minhas mãos estão ultra ressecadas, ela falou que os pés é principalmente por conta do aumento de peso, a pele fica mais grossa. Perguntou da minha dormência nas mãos, falei que continua por aqui, forme e forte e que a mão esquerda está pior, mas que não ligo não. Se eu conseguir pegar as coisas e escrever de vez enquando ta tudo certo rs

Mostrei o exame de urina e nada de infecção urinária! oba! Por conta do livro que ela me emprestou (A cientificação do amor, de Michel Odent) falei para ela que a princípio não tinha tendência a pressão alta porque não tenho proteína na urina (hahah) e que tinha lido também que o omega 3 que estou tomando também ajuda a prevenir. ahahah Acho que ela deve ficar achando que eu sou louca e que está criando um monstrinho ehehhehe

Falei do primeiro encontro com a enfermeira obstetra e que amanhã tenho outro! Rumo a 34ª semana (:

Share: